Édouard Manet, o pioneiro do modernismo

Édouard Manet nasceu no ano de 1832 na França, e foi um pintor muito talentoso do modernismo europeu. Manet é considerado o artista responsável pela transição do realismo para o impressionismo. Como Paul Signac, Édouard Manet nasceu numa família muito rica e com muita influência política. Diferente de outros artistas como Rembrandt, Manet não precisou de um casamento com uma mulher rica para fazer sua arte e por isso ele criou obras-primas que escandalizavam a sociedade. Ele deu início ao movimento modernista.

Seu pai era um alto funcionário do Ministério da Justiça francês. O artista tinha um tio considerado excêntrico, Edward Fournier, que foi o responsável por apresentar Manet ao mundo da arte. Porém o jovem artista ainda tentou uma carreira na marinha mas como fracassou ele continuou a trabalhar com arte e sua família, especialmente seu pai, incentivou e deixou Édouard estudar arte. O pintor estudou técnicas artísticas com o artista acadêmico Thomas Couture.

Os romanos em sua decadência, Thomas Couture.

Em suas primeiras pinturas, Édouard Manet tinha um estilo realista como o aprendido por seu mestre Thomas Couture, suas obras também se aproximava ao estilo de Gustave Coubert. Manet também fez viagens para a Alemanha, Holanda e Itália. Nestes lugares o artista faz cópias dos grandes mestres. A obra O bebedor de absinto ainda tem fortes influências realistas.

Um bebedor de absinto, Manet.

Uma curiosidade: Manet preferiu estudar com Couture do que ingressar na academia de Belas Artes em Paris. A obra acima, Os romanos em sua decadência, é considerada uma obra-prima de Thomas Couture que foi muito apreciada na época. Talvez seja por causa desse estilo e sucesso de Couture, Manet preferiu aprender com este artista do que entrar na academia de Belas Artes. Mais tarde ele admite que a escolha de aprender com Couture foi justamente por causa da carreira bem sucedida de seu mestre.

Após a conclusão da obra Um bebedor de absinto, a relação entre Manet e Thomas Couture se deteriora, pois seu até então mestre não gostou muito desta pintura de Manet, então o artista decide abrir seu próprio estúdio.

Manet também pinta o quadro O cantor espanhol, com uma estética mais próxima do artista espanhol Diego Velázquez, porém nesta obra Manet começa a criar um estilo próprio que chama a atenção de um público que estava acostumado ao perfeccionismo da pintura acadêmica que fazia sucesso nesta época. Esta pintura tem pinceladas mais livres do que as outras obras realistas que eram populares.

O cantor espanhol, Manet.

Este período em que Manet faz obras inspiradas em artistas como Velázquez e o pintor Franscico de Goya, é chamado de período hispânico. Outra obra que desta época considerada complexa e uma de suas primeiras obras-primas é a pintura O velho músico.

O velho músico, Manet.

O período hispânico também é chamado assim por causa de algumas pinturas que o artista confeccionou obras em que as figuras usavam roupas típicas das touradas que aconteciam na Espanha. Uma destas pinturas é  Victorine Die em traje Espada, que retrata uma mulher supostamente disfarçada com aqueles trajes utilizados por homens nas touradas. Os críticos de arte da época fizeram uma avaliação positiva desse quadro. Esta pintura foi exibida no Salon des refusés (Salão dos rejeitados, uma exposição que exibia obras não aprovadas para serem expostas no Salão de Paris). Manet usou como modelo feminino a jovem Victorine Die.

Victorine Die em traje Espada, Manet. 

Outra pintura com influência de Diego Velázquez e utilizando trajes típicos espanhóis foi a obra Lola de Valência que mostra uma mulher vestida com roupas típicas de dançarinas espanholas. Também é uma pintura com estética realista.

Lola de Valência, Manet.

O poeta Boudelaire escreveu uma crítica entusiasmada desta obra em forma de versos de um poema criado especialmente pra falar do quadro Lola de Valência. Esta pintura foi exposta no Salão de Paris no ano de 1861. Estas pinturas fizeram parte dos temas espanhóis.

Manet também pintou temas religiosos inspirados em artistas italianos como Fra Angelico, conhecido como o pintor dos Anjos. O artista fez uma obra com o tema clássico de Jesus Cristo morto apoiado por anjos, que faz parte da narrativa bíblica da crucificação de Cristo.

Cristo morto apoiado por dois anjos, Manet.

No entanto esta pintura, que foi exposta no Salão de Paris, recebeu críticas do artista Gustave Coubert que não gostou da estética desta obra pintada por Manet.

O artista fazia parte de uma família muito abastada e por isso ele fez parte da alta sociedade francesa, foi nesse contexto de frequentador dos círculos aristocráticos de Paris que o artista pintou o quadro Música nas Tulherias que retrata um concerto ocorrido no jardim das Tulherias. É uma das primeiras pinturas que o artista fez no seu período impressionista e pós-impressionista. Este estilo moderno não agradou os críticos, nem seu admirador mais fiel, Boudelaire chegou a citar esta obra.

Música nas Tulherias, Manet.

Porém a obra mais polêmica do artista é a pintura Almoço na grama. Por representar uma mulher comum sem roupa fora do contexto das deusas gregas e ninfas foi considerada uma pintura imoral e que escandalizou os críticos de arte. É com esta obra que ele rompe definitivamente com o estilo realista e academicista. Esta pintura foi exibida no Salon des refusés do ano de 1863.

Almoço na grama, Manet.

Porém esta não foi a única pintura que causou escândalo e alvoroço nesta época. Manet ainda pinta a sua obra chamada Olympia. O motivo da polêmica é quase o mesmo do que o Almoço na grama, retratar uma mulher comum fora do contexto das deusas gregas. Era muito comum a pintura de nu artístico no século XIX (19), era até mesmo uma das coisas aprendidas por todos os artistas que passavam pela academia de Belas Artes de Paris, mas como não tinha uma estética relacionada a arte greco-romana.

Olympia, Manet.

Olympia foi uma das pinturas mais comentadas do artista, sendo alvo até mesmo de caricaturas.

O artista pintou muitas obras ao longo de sua vida, e acabou falecendo por causa de complicações da Sífilis no ano de 1883. Édouard Manet deixa um legado de diversas obras-primas.

Referências:

Lista de obras do artista: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_paintings_by_Édouard_Manet

2 comentários em “Édouard Manet, o pioneiro do modernismo

  1. Muito bom os textos as informações, esses dias assisti Com Amor Van Gogh, tava na lista faz tempo, no catalogo da amazon prime tem bons títulos sobre a vida de grandes pintores, tem um que conta a amizade entre o escritor Zola e Gauguin e tem outro que conta a historia de Gauguin quando ele fez uma viagem para uma ilha ou pais mais remoto. Baita referencia aqui pra quem gosta de artes plástica valeu!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.