Como surgiram as vacinas?

Com essa pandemia estamos ansiosos por uma vacina contra o novo coronavírus causador da COVID-19. Mas de onde veio a ideia de criar o que chamamos de vacina? Como ela foi descoberta?

A prática de imunização vem desde muito tempo atrás, data de séculos. Na China existem relatos que já no século XVI (1501-1600 d.C) havia prática de inocular o vírus da varíola pra imunizar uma pessoa.

A humanidade sofre com epidemias há séculos, doenças como o sarampo e a varíola tiraram muitas vidas.

Varíola e a Variolação

A Varíola é uma doença que tirou muitas vidas ao longo dos séculos. Reis e imperadores já morreram de varíola. E por ser uma doença que também afetava a nobreza e que causava grandes epidemias e muitas mortes, sempre houveram grandes esforços para tentar imunizar, tratar e/ou achar uma cura pra essa doença.

O imperador chinês K’ang, no século XVII(1601-1700 d.C), apoiou a prática de inoculação da varíola, pois ele mesmo foi um sobrevivente dessa doença. Nessa época a inoculação era feita de forma rudimentar utilizando cascas de feridas da varíola retiradas de pessoas doentes, fazendo um corte e inserindo nele as cascas. Essa prática era conhecida como variolação.

A variolação(inoculação) era feita em diversos lugares como na Inglaterra, algumas regiões da África e onde é a Turquia atualmente. Catarina, a grande, imperatriz da Rússia, passou pela variolação com sucesso e começou a defender a inoculação em massa para a população russa.

Mas havia um problema nesse método de inoculação de varíola, algumas pessoas que passavam por esse procedimento morriam. Então não era um método muito seguro, mas era o que existia nessa época.

O naturalista Edward Jenner, que é considerado a pessoa que inventou a vacina, observou que as mulheres que tinham contato com vacas, que haviam tido uma forma de varíola bovina, eram imunes à varíola humana ou desenvolviam essa doença de forma bem mais branda.

Para testar sua teoria, de que a varíola bovina podia deixar a pessoa imune à varíola humanam, ele inoculou a essa versão mais branda da doença num garoto de oito anos, James Phipps. O menino desenvolveu a doença com sintomas mais leves e sua recuperação foi mais rápida do que acontecia com a varíola humana. E assim surgiu a ideia de se usar uma versão parecida ou mais branda da doença.

Jenner publicou um livro mostrando os resultados dos experimentos que conduziu e suas observações. Esse livro foi suficiente pra que seu método fosse reproduzido e então em 1881 quase cem mil pessoas foram vacinadas utilizando sua metodologia.

A palavra vacina, por incrível que pareça, vem do fato da doença ter vindo de uma doença da vaca.

Hoje em dia a varíola é considerada uma doença erradicada, a Organização Mundial da Saúde liderou na década de 70 uma grande campanha de vacinação em massa que imunizou em torno de meio bilhão de pessoas, e o último caso de varíola foi no ano de 1980.

Louis Pasteur, Jonas Salk e avanço científico das vacinas

O método de inoculação de Jenner tinha um porém, nem todas as doenças humanas possui uma análoga animal.

Louis Pasteur teve a ideia de enfraquecer o vírus para “ensinar” o sistema imunológico a se defender do vírus normal. Em 1881 e 1885, o biólogo consegue com sucesso criar uma vacina contra o antraz e a raiva, ele utiliza o calor pra enfraquecer o vírus de ambas as doenças.

O método de Pasteur é replicado e outras vacinas como caxumba, rubéola e sarampo são desenvolvidas utilizando uma cepa mais fraca do vírus. Pesquisadores do século XIX e XX tiveram a ideia de matar o vírus completamente e utilizar os restos virais para inocular nas pessoas e assim imunizá-las.

Jonas Salk criou uma vacina utilizando células HeLa e matando o vírus da poliomielite, e desse modo surgiu a vacina Salk, a primeira vacina contra a poliomielite. Albert Sabin aprimorou a vacina da poliomielite e criou uma versão oral da vacina, a vacina do Zé Gotinha.

Zé Gotinha, mascote da campanha da vacina contra a poliomielite.

Nos dias de hoje, com a descoberta do DNA, dos vírus e bactérias e com os avanços tecnológicos, as vacinas são muito mais eficazes e sem riscos do que acontecia antigamente na época da variolação. A pandemia da doença COVID-19 vai fazer com que nós tenhamos diversas vacinas em tempo recorde, somente com a vacina poderemos superar essa pandemia.

Momento “Você Sabia?”, a Revolta da Vacina

Existem movimentos anti-vacina nos dias de hoje e o atual presidente já falou que não vai obrigar ninguém a se vacinar mas antigamente…

O médico Oswald Cruz em 1904, conseguiu que aprovassem uma lei que tornava a vacinação obrigatória. Essa lei exigia que o comprovante de vacinação fosse necessário para fazer matrículas em escolas, conseguir emprego, se hospedar em hotéis e fazer viagens, além de uma multa para quem resistisse à vacinação. E esse foi o estopim da revolta.

Em resumo, as pessoas saíram às ruas para protestar, tomaram as ruas da cidade do Rio de Janeiro e entraram em confronto com as tropas do governo. A vacinação obrigatória foi suspensa e dessa maneira terminou a revolta da vacina.

Referências:

https://time.com/5835668/vaccine-history/

https://www.historyofvaccines.org/timeline

https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolta_da_Vacina

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.