Categoria: Filosofia

Quando a humanidade precisou deixar Deus de lado pra poder evoluir…

th1

(Calma, isso não tem nada a ver com a existência ou não existência de Deus)

No século XX surgiu a filosofia existencialista de Jean Paul Sartre, o filósofo diz que o homem existe primeiro e depois define quem ele vai ser. O contrário da óptica religiosa que diz que Deus define primeiro o que o homem vai ser e depois ele existe, mas o homem é Clique aqui e leia mais…

Anúncios

“Nunca pergunte por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”

Essa frase é do poeta inglês John Donne, que viveu entre os séculos XVI e XVII. Ele teve uma vida difícil, viveu na pobreza, escreveu muitas poesias. E a frase famosa, que está no título do post, foi escrita na última fase de sua vida, quando estava doente, e tinha sofrido muitas perdas (morte de amigos e até a filha faleceu – aos 18 anos), e continuava pobre.

A frase completa é: “A morte de cada homem diminui-me, porque sou parte da humanidade. Portanto, nunca procure saber por quem os sinos dobram; eles dobram por ti.”.

A citação tem vários significados, mas a que eu acho melhor é que essa frase fala sobre a empatia humana. Que a vida de todos os homens é importante, e quando alguém morre, a humanidade também morre. Pois essa vida que se foi, representa um vazio na sociedade. E devido a empatia, cada ser humano sente essa perda.

E também representa que estamos todos conectados (o homem do pântano diz isso para o Avatar, no desenho Avatar: A lenda de Aang*, no episódio do pântano, na segunda temporada), é algo muito profundo.

Além do sino anunciar a morte de alguém, ele também tem outras funções, ele representa “a voz de Deus”, guia as almas perdidas para a redenção, e marca as horas (é útil, mas não tem a ver com a frase). O sino dobra por vários motivos na Igreja Católica.

Sino da igrejs

Fonte da imagem 

Saindo da reflexão espiritual e indo pra parte filosófica. A empatia** humana, segundo alguns cientistas, seria a raiz da ética.

E a ética é um dos assuntos preferidos dos nossos queridos filósofos, e será o futuro tema que abordarei no blog. Ética: o que é? o que come? e onde vive? Não perca no próximo programa “Filsofia Popular” ou pop para os mais íntimos.

*Assista esse desenho, ele começa meio bobinho e infantil, mas é só uma impressão, conforme a história progride vai ficando cada vez mais adulto e complexo. O Avatar recebe várias lições de vida, e o final é muito bom. O jeito que os escritores acharam uma solução para o problema do que aconteceria com a nação do fogo quando a guerra acabasse, foi perfeito, e essa solução já começa no Livro 3, ou terceira temporada.

**Existe uma parte do cérebro que é responsável pela empatia, mas o mecanismo dessa emoção no cérebro humano. de acordo com ciência, ainda não está bem estabelecido. Mas empatia é algo real, quem não tem essa capacidade cerebral de sentir empatia pelos outros são conhecidos como psicopatas (psicopatia é uma doença cerebral).

 

Como entender aquele filosofo que escreve difícil?

Imagine uma situação, você vai numa livraria e acha na promoção o livro “Crítica da razão pura” de Immanuel Kant, você compra. E quando chega em casa começa a ler, mas não entende nada.

memeeagora

Você não entende porque é burro? Não. Filosofia é muito complexa pra você? Não. Então por que você não consegue entender o livro de filosofia que você comprou na livraria?

Um dos motivos é que filósofos são (foram) pessoas que leram muitas obras de outros filósofos. Algumas vezes eles discordam do que um filósofo diz e começam a pensar no assunto, e decidem fazer um livro pra discordar desse filósofo e fazer argumentações e filosofias sobre o que discordaram.

No caso de Immanuel Kant, e o livro “Crítica da Razão Pura”, lá na introdução ele começa a falar sobre conhecimentos a priori, impressões…

E no segundo capítulo, ele continua nessa história de juízo a priori, conhecimento empírico, universalidade, até que ele escreve: “… pode bastar a proposição de que cada mudança tem uma causa. (…) o conceito de causa contém de tal modo o de necessidade de efeito e a rigorosa generalidade da lei, que desapareceria por completo se, como o fez Hume (…)”

carminhameme

Aí você se pergunta Hume? O que é isso? Uma pessoa? E a resposta é: sim, é uma pessoa, mas não só uma pessoa. Hume é o filósofo David Hume. Então, Immanuel Kant está refutando uma teoria do filósofo David Hume, que está no livro “Investigação sobre o entendimento humano”.  Estou querendo dizer que você tem que ler esse livro antes da “crítica da razão pura”? Não….Sim, estou…

fazeroq

Na verdade, você não precisa ler, porque Kant explica rapidamente o que é juízos a priori e empirismo e fala sobre os problemas desses conceitos. Mas se Kant está muito difícil de entender, eu aconselho ler o livro do David Hume, porque ele explica de um jeito muito fácil os conceitos que Kant rebate no livro “crítica da razão pura”.

Vou citar uma parte do que David Hume escreve e que Kant discorda até no fundo da alma:

“Portanto, se quisermos satisfazer-nos a respeito da natureza desta evidência que nos dá segurança acerca dos fatos, deveremos investigar como chegamos ao conhecimento da causa e do efeito.

Ousarei afirmar, como proposição geral, que não admite exceção, que o conhecimento desta relação não se obtém, em nenhum caso, por raciocínios a priori, porém nasce inteiramente da experiência quando vemos que quaisquer objetos particulares estão constantemente conjuntados entre si.” Investigação sobre o entendimento humano, David Hume.

Esse filósofo é conhecido por ser extremamente empirista (significa que tudo que a gente conhece vem de experiências). Ele diz “que as causas e os efeitos não são descobertos pela razão, mas pela experiência”, essa frase dele resume o que é empirismo.

Kant é contra esse empirismo radical, e são 200 páginas de argumentação do porque David Hume não está totalmente certo.

Momento desabafo do dia

memesolta

Ler filosofia é perda de tempo? Parece que David Hume e Immanuel Kant estão fazendo filosofia sobre algo inútil, não é?

Claro que não é inútil. Sabe por que? Tem um cientista famoso, que ele leu Kant aos 16 anos de idade, e essa leitura o influenciou muito, que ele até criou uma física nova. Sabe quem é esse cientista? Albert Einstein.

Kant dá uma base argumentativa muito forte sobre a existência de coisas que não podem ser provadas por experiência, ele usa o espaço e o tempo como exemplo. Uma das teorias de Einstein é sobre espaço-tempo, e a utilidade prática está nas tecnologias que você usa hoje. Sem Einstein não existiria metade dessas tecnologias.

Filosofia é inútil? Já imaginou se Einstein nunca tivesse lido Kant, ele nunca teria tido aquela confiança que fez ele criar uma teoria nova. Não sei nem se a gente teria smartphone hoje em dia, sem as teorias de Albert Einstein. Aquelas luzes que acendem “automaticamente” com certeza não existiria, foi ele que inventou isso….

Agora imagine o Isaac Newton sem filosofia, as leis de física dele foram escritas num livro que ele batizou de “Os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”. Não teríamos saído da idade média, ainda estaria buscando água no poço e usando luz de velas.

Mas o post é sobre como não se perder em filosofia e não sobre a utilidade da filosofia, que merece um post próprio.