Guernica, a denúncia de Pablo Picasso

Guernica é uma das obras mais famosas de Pablo Picasso, que pertence ao movimento artístico das vanguardas europeias, o cubismo. O quadro do pintor cubista retrata o horror do bombardeio da cidade de Guernica durante a Guerra Civil Espanhola. A história por trás dessa obra e o evento retratado fazem dessa pintura uma denúncia contra o horror que aconteceu alguns anos antes da Segunda Guerra Mundial. Muitos dizem que o bombardeio de Guernica foi uma espécie de amostra do que aconteceria na Segunda Guerra Mundial.

Pablo Picasso, um pouco sobre sua vida

Pablo Picasso nasceu no ano de 1881 na Espanha, porém o espanhol passou a maior parte de sua vida vivendo na França. Ele é considerado o fundador do movimento artístico cubismo. Pablo Picasso estudou na Escola de Belas Artes da Espanha e também conseguiu entrar na Academia Real de Belas Artes. Suas obras foram expostas em algumas edições da Exposição Universal de Paris.

Quando viva em Madrid, ele e seu amigo anarquista, Francisco de Asís Soler, fundaram a revista Arte Joven. Picasso ficou responsável por fazer ilustrações para essas publicações. Após a Segunda Guerra Mundial, Pablo Picasso se filia no Partido Comunista Francês.

Sua obra que deu início ao movimento cubista foi a famosa pintura Les Demoiselles d’Avignon, que foi feita em 1907 para a Exposição Universal de Paris.

Les Demoiselles d’Avignon, Pablo Picasso.

Após suas obras cubistas, o artista também teve uma fase neoclássica e surrealista.

Pierrot, Pablo Picasso.

O Bombardeio de Guernica e a Guerra Espanhola

Esse bombardeio de Guernica ocorre no contexto histórico da Guerra Civil Espanhola. De um lado estava pessoas do espectro político da esquerda como comunista, lenistas e até mesmo os anarquistas e do outro lado estava a direita, liderada por Francisco Franco.

Nesse conflito deu pra perceber como seria uma segunda grande guerra no campo político. Viu-se nesse conflito a atitude de “pagar pra ver” das democracias italiana e britânica, o engajamento feroz dos estado fascista na Itália e do nazismo na Alemanha, que também aconteceria na Segunda Guerra Mundial.

Nas eleições que aconteceram em 1936, a Frente Popular, que era de esquerda, conseguiu a maioria das vagas nas eleições, porém, a direita e a extrema direita fascista não ficaram contentes com esse resultado e armaram um golpe político que foi mal sucedido. Isso provocou uma insurreição militar em 1936 que levou a população camponesa e os revolucionários a lutarem contra esses militares que queriam se perpetuar no poder na Espanha.

O lado direito, os chamados nacionalistas, do conflito recebeu o apoio dos nazistas e fascistas italianos, que enviaram armas e aviões para ajudar. E na lado esquerdo, os republicanos, que sofre de uma divisão política interna e da falta de militares para combater, já que estes foram lutar ao lado dos nacionalistas. Francisco Franco leva para a luta ao lado dos nacionalistas as tropas marroquinas.

Os países europeus como a França e o Reino Unido não ajudam os republicanos, pois veem esse conflito como uma revolução comunista. Porém a Itália sob o regime fascista e a Alemanha nazista participam ativamente dessa guerra, alguns dizem que nesse momento podemos ver o poderio militar desses dois países, além desses dois estarem testando as armas que usariam depois na Segunda Guerra Mundial.

Essa guerra foi marcada por massacres de ambos os lados do conflito, e o bombardeio de Guernica é um exemplo da crueldade que foi a Guerra Civil Espanhola.

Par Bundesarchiv, Bild 183-H25224 / Auteur inconnu / CC-BY-SA 3.0, CC BY-SA 3.0 de, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=5434009

A obra “Guernica”

O governo republicano espanhol, na figura de Francisco Largo Caballero, encomenda um mural para Pablo Picasso, que será exibido no pavilhão espanhol na Exposição Universal de Paris em 1937.

O artista hesita em fazer esse mural, num primeiro momento, mas acaba aceitando a encomenda e começa a trabalhar nessa obra. Porém, Picasso fica sabendo sobre o bombardeio de Guernica e decide fazer um mural de contestação política contra o fascismo que estava tomando conta da Espanha.

Neste bombardeio a Guernica, a maioria da população que se encontrava nesse lugar eram de mulheres e crianças, pois os homens estavam participando dos conflitos em outros lugares.

Um relato de um sobrevivente, que saiu nos jornais Times e The Bew York Times, chamou a atenção do artista. Então ele resolveu chamar a obra de Guernica, e durante sua confecção ele deixava as pessoas verem o andamento do seu trabalho nesse mural.

Pablo Picasso fez questão da sua obra ser o mais fosca possível, sem nenhum tipo de brilho, por isso ele usou uma tinta especial para esse trabalho. O artista queria denunciar o que os militares estavam fazendo em seu país natal, a Espanha.

Guernica, Pablo Picasso.

Guernica serviu para atrair a atenção da mídia internacional para a Guerra Civil Espanhola. Hoje em dia existem reproduções dessa obra em diversos lugares, até mesmo na sede das Nações Unidas que fica nos Estados Unidos.

6 comentários em “Guernica, a denúncia de Pablo Picasso

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.