Jean-François Millet e o Realismo Campestre

Jean-François Millet nasceu no ano de 1814 na aldeia de Gruchy, na França. O artista foi um dos fundadores da Escola de Barbizon, que era um grupo que pintava paisagens primeiramente da Floresta de Fontainebleau. Millet também é reconhecido por suas pinturas realistas sobre o campo e camponeses, por causa disso o pintor é colocado como fazendo parte do movimento artístico do realismo embora a Escola de Barbizon tenha uma essência Romântica.

O artista nasceu num ambiente rural e por isso passou uma boa parte de sua adolescência trabalhando na fazenda, ajudando seu pai. Quando o artista estava perto de completar vinte anos, seu pai, percebendo seu grande talento para as artes, mandou Jean-François Millet para Cherbourg para estudar pintura com o artista Bon Du Mouchel. Seu grande talento chamou atenção e o conselho municipal de Cherbourg decidiu pagar uma pensão para que Millet estudasse arte em Paris, então o artista se matriculou na Escola Belas Artes de Paris.

Durante seu período na Escola de Belas Artes de Paris, Millet passou a frequentar o estúdio de Paul Delaroche, que era famoso por sua obra chamada A Execução de Lady Jane Grey.

A Execução de Lady Jane Grey, Paul Delaroche. 

A Execução de Lady Jane Grey é uma pintura histórica com características neoclássicas, Delaroche era um pintor acadêmico, portanto suas pinturas eram feitas num ambiente interno, como num estúdio, por exemplo. Jean-François Millet aprendeu muito com Delaroche.

Sua primeira pintura submetida ao Salão de Paris, por isso, sua bolsa não foi renovada e o jovem artista retornou para Cherbourg. Millet tentou ser um pintor de retratos mas acabou se mudando para La Havre na França. Depois foi para Paris onde conheceu os artistas com quem se juntaria para fundar a Escola de Barbizon. Millet conseguiu o apoio de Alfred Sensier, um historiador e crítico de arte que influenciou o artista a seguir pelo realismo camponês.

Uma das pinturas de Jean-François Millet se chama Camponeses descansando, Rute e Boaz.

Camponeses descansando, Rute e Boaz, Jean-François Millet.

Camponeses descansando, Rute e Boaz é uma pintura com características realistas, a obra de Millet se encontra um pouco amarelada por causa do efeito do tempo, mas mesmo assim podemos inferir que quando ele concluiu essa pintura em 1853, havia um tom amarelo, pois parece que essa cena está acontecendo ao meio-dia quando o sol está no auge dando essa impressão. A figura de Rute e Boaz se encontram no canto esquerdo, o resto dos camponeses estão sentados fazendo uma refeição, é possível ver um recipiente sendo segurado por uma mulher. Nessa pintura podemos ver que Millet abandonou qualquer neoclassicismo que aprendeu com Delaroche.

Uma outra pintura de Millet que retrata o dia a dia de trabalhadores braçais se chama A mulher fazendo pão.

A mulher fazendo pão, Jean-François Millet.

Em A mulher fazendo pão vemos que Millet ainda utiliza as técnicas de pintura que aprendeu com Paul Delaroche em sua estada na Escola de Belas Artes em Paris. A escolha do tema torna essa pintura como sendo parte do movimento realista. O artista retrata um local de trabalho, os fornos em que os pães são assados, vemos os objetos que são usados pela mulher, e ao fundo alguns cestos.

A mulher é incluída nas pinturas sobre trabalho braçal de Jean-François de Millet, uma outra obra sobre esse tema se chama As Respigadoras.

As Respigadoras, Jean-François Millet.

As Respigadoras é uma das obras mais conhecidas de Jean-François Millet, assim como Gustave Caillebotte, o artista retratou os trabalhadores das classes mais baixas da sociedade francesa, a pintura não foi bem recebida no começo, pois era alta classe que mais consumia arte na Europa. A pintura original possui um tamanho grande 83,8 cm × 111,8 cm, nessa época a Revolução Francesa ainda estava na memória dos franceses.

Representar a classe trabalhadora de forma amigável, colocando em uma pintura, não foi visto com bons olhos pelos ricos burgueses, pois a camada popular (em qualquer época) supera numericamente a classe “alta”, por isso alguns tinham medo dessas representações artísticas.

Uma outra pintura camponesa realista famosa se chama O Angelus.

O Angelus, Jean-François Millet.

O Angelus é outra obra-prima de Jean-François Millet que retrata um ritual da vida campestre que era a oração ao Anjo ao final de um dia de trabalho. Essa pintura é como as outras pinturas realistas do artista, Millet pinta uma paisagem com camponeses de uma forma simpática e humanizada, por isso suas pinturas acabaram chamando tanta atenção, o artista domina as cores, e os contrastes, conseguindo reproduzir o por do sol e o momento em que esse ritual é realizado.

Uma curiosidade: Jean-François Millet foi um dos artistas que inspiraram o próprio Vincent Van Gogh, assim como Georges Seurat, a pintura Angelus foi uma influência para diversos artistas contemporâneos também.

Jean-François Millet morreu no ano de 1875, deixando um grande legado.

Compre meu e-Book na Amazon:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.