Martin Johnson Heade e o Luminismo

Martin Johnson Heade nasceu no ano de 1819 em Lumberville, na Pensilvânia, nos Estados Unidos. O artista faz parte do movimento artístico chamado de Luminismo, que é derivado da Escola do Rio Hudson. Heade pintava naturezas mortas e paisagens tropicais realistas e com muitos detalhes, o artista pode ser considerado um dos melhores representantes do Luminismo, pois suas obras se aproximam do hiperrealismo.

O artista aprendeu a pintar com Edward Hicks, suas primeiras pinturas foram retratos, Heade empreendeu diversas viagens para expor suas obras de arte e acabou se estabelecendo em Nova Iorque. O artista havia feito amigos que pintavam paisagens, e a própria cidade abrigava artistas da Escola do Rio Hudson. Heade passou a pintar paisagens, uma de suas obras dessa época se chama Tempestade de trovões se aproximando.

Tempestade de trovões se aproximando, Martin Johnson Heade.

Tempestade de trovões se aproximando é uma pintura de paisagem contemplativa que mostra uma nuvem se aproximando, essa obra tem algumas características da pintura de Edward Hicks, que apresentavam um realismo menos dramático. As obras de Hicks possuiam as mesmas do movimento artístico do regionalismo americano, como podemos ver na pintura abaixo chamada de Arca de Noé.

Arca de Noé, Edward Hicks.

Arca de Noé é uma pintura religiosa sobre a história bíblica de mesmo nome. Hicks criou uma obra com um certo efeito de desenho, embora ele tenha usado perspectiva, as cores são mais primárias, apesar dos detalhes. Sua pintura lembra um pouco a arte inocente francesa.

Heade também faz pinturas de flores e pássaros tropicais como podemos ver na pintura chamada de Orquídea com Dois Beija-flores.

Orquídea com Dois Beija-flores, Martin Johnson Heade.

Orquídea com Dois Beija-flores é uma pintura bem detalhista, Heade usou uma paleta de cores realista, e fez o que as câmeras de celular fazem hoje em dia, o modo retrato, que coloca algo em primeiro plano e vai desfocando o que está atrás, na pintura, esse desfoque ocorre de forma mais gradual.

Uma das pinturas que caracterizam Martin Johnson Heade como um pintor luminista são suas pinturas de paisagem marinha. Uma dessas obras de Heade se chama Singing Beach, Manchester.

Singing Beach, Manchester, Martin Johnson Heade.

Singing Beach, Manchester é uma pintura em que Heade utiliza a perspectiva e a luz da paisagem para ocultar as pinceladas, esse efeito é mais perceptível vendo a pintura ao vivo ou em ultra definição, mas não achei uma imagem assim. Enfim, nessa pintura vemos essa característica realista de Heade, o artista escolheu uma paleta de cores natural, os contrastes e a iluminação também são responsáveis por esse efeito realista. O artista era um grande paisagista, assim como seus amigos da Escola do Rio Hudson, porém Heade fazia uma paisagem mais contemplativa do que emotiva.

Sua grande habilidade em pintar obras realistas pode ser vista em Magnólias Gigantes em um Tecido de Veludo Azul.

Magnólias Gigantes em um Tecido de Veludo Azul, Martin Johnson Heade.

Em Magnólias Gigantes em um Tecido de Veludo Azul, Heade mostra todo seu talento realista, nessa pintura o artista retrata texturas diferentes como o tecido de veludo, as pétalas da flor, as folhas, os brotos. Sua paleta de cores torna a pintura o mais realista possível, além de saber utilizar a iluminação, e juntar tudo isso para criar as diferentes texturas que vemos nessa tela.

Existe uma outra pintura sobre flores que o artista também mostra que domina a representação de texturas, essa obra se chama Magnolia Grandiflora.

Magnolia Grandiflora, Martin Johnson Heade.

Magnolia Grandiflora também é uma pintura uma flor, mas nessa pintura as folhas parecem mais enceradas, e as cores são um pouco menos vivas do que na obra anterior, também temos a representação haste da magnólia que se encontra em cima de um tecido vermelho que também aparenta ser de veludo.

O artista viajou para países tropicais, incluindo o Brasil, mas nosso país é muito grande, podemos encontrar vegetações diferentes dependendo do lugar, mas como o artista viveu no século XIX, provavelmente ele viajou pelo Rio de Janeiro. Heade tinha até mesmo planos para publicar um livro sobre o Brasil, mas acabou não tendo condições financeiras para fazer isso.

A carreira artística de Heade causa controvérsia quanto a classificação de suas obras, existe debates sobre se ele pode ser encaixado na Escola do Rio Hudson, e se ele faria parte do Luminismo. Heade foi um artista diferente, ele pintou muita natureza morta, coisas pequenas de um cenário, como uma flor e um passarinho, além de suas pinturas de paisagem divergirem um pouco da estética de outros artistas da Escola do Rio Hudson.

Martin Johnson Heade morreu no ano de 1904.

Imagens e Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Martin_Johnson_Heade

Compre meu e-Book na Amazon:

2 comentários em “Martin Johnson Heade e o Luminismo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.