Berthe Morisot, co-fundadora do movimento impressionista

Berthe Marie Pauline Morisot nasceu no ano de 1841, em Bourges na França. Berthe Morisot é considerada uma das fundadoras do movimento artístico modernista. A artista era muito respeitada e admirada dentro do círculo de pintores impressionistas. Suas obras foram selecionadas para serem exibidas no Salão de Paris em seis edições do evento. Berthe Morisot também é conhecida como uma das três grandes damas do movimento impressionista.

A artista é parte de uma família burguesa muito rica, Berthe tinha mais duas irmãs, uma delas, Edma, praticou pintura e expôs junto com Berthe no Salão de Paris. Porém, Edma Morisot desistiu da pintura após seu casamento com Adolphe Pontillon.

Edma Morisot, por Berthe Morisot.

As irmãs treinaram arte e logo se revelaram muito talentosas, o pintor Joseph Guichard descobriu a habilidade de Edma e Berthe e ensinou as duas nas técnicas artísticas. A Academia de Belas Artes de Paris não aceitava mulheres por isso elas tiveram que aprender com professores particulares, além de Guichard, elas aprenderam paisagismo com o pintor Achille Oudinot e com o artista Jean-Baptiste Camille Corot.

Como todos os artistas do século XIX, as irmãs ficavam horas no Louvre copiando obras dos considerados grandes mestres, é nesse contexto que as duas conhecem Édouard Manet e Edgar Degas. Em 1869, Berthe Morisot pintou a obra Vista do pequeno porto de Lorient, durante uma estadia na casa de sua irmã, Edma.

Vista do pequeno porto de Lorient, Berthe Morisot.

O amigo de Berthe, Édouard Manet fazia muitas observações sobre as obras de Berthe Morisot, querendo interferir sobre o estilo de pintura de Berthe, o que se tornou muito incômodo as vezes. A artista chegou a reclamar das interferências de Manet. Apesar disso, devido a alguns problemas pessoais enfrentados por Manet, Berthe Morisot aceitou posar diversas vezes para o pintor.

Berthe Morisot, por Édouard Manet.

Uma das obras feitas por Berthe com influência de Manet é a obra Mulher e criança na varanda, apesar dos palpites feitos por Manet, Berthe gostou muito desta pintura que ela fez.

Mulher e criança na varada, Berthe Morisot.

Berthe começou a ganhar uma estética própria, e isto foi percebido pelo artista Edgar Degas. A pintora se afastou das cores escuras e dos pretos de Manet, para o domínio de cores mais claras. Os tons claros usados por Berthe eram vivos e brilhantes. O próprio Manet passou de influenciador para ser influenciado pelas cores mais claras utilizadas por Berthe. Uma de suas obras que mostram o domínio destes tons mais claros é o quadro O Berço.

O Berço, Berthe Morisot.

Berthe Morisot acabou se casando com Éugene Manet, irmão de Édouard Manet. Seu marido foi temas de diversas pinturas feitas por Berthe, são obras que mostram o que ela aprendeu com seu antigo professor, Jean-Baptiste Camile Corot, e influências do seu cunhado, Édouard Manet.

Éugene Manet olhando na janela, Berthe Morisot.

A artista submeteu diversas obras para serem expostas no Salão de Paris em 1873, mas apenas uma pintura foi aceita pelos jurados do Salão. Berthe Morisot e diversos outros artistas impressionistas como Claude Monet, decidiram organizar uma exposição própria, chamada de A Primeira Exposição dos Impressionistas. Manet foi aceito no Salão de Paris e portanto não quis participar da exposição dos impressionistas. Assim, Berthe Morisot firma sua independência em relação a Édouard Manet.

Sua participação e suas obras provocaram um escândalo, pois ela tinha uma estética totalmente fora do convencional, o que irritou diversas pessoas que chegaram até mesmo a xingar Berthe Morisot.

As pinturas de Berthe Morisot tinham um tema intimista, retratando o cotidiano, principalmente a vida das mulheres, como podemos ver em sua obra Mulher em seu banheiro.

Mulher em seu banheiro, Berthe Morisot.

Morisot é considerada uma pintora impressionista muito convicta, com muitos dizendo que ela levava o impressionismo ao extremo. A obra Mulher em seu banheiro acabou sendo vendida. Marie Bracquemond, Mary Cassatt e Berthe Morisot foram chamadas de as três grandes damas do impressionismo.

Mary Cassatt e Berthe Morisot são as únicas duas mulheres que foram aceitas pelo círculo social e artístico dos pintores impressionistas. As duas são consideradas líderes do movimento impressionista. Os críticos de arte achavam que Marisot era uma ótima colorista além de sua estética impressionista perfeita.

Porém alguns achavam que as obras de Berthe Morisot (e também de Manet) eram pinturas inacabadas por causa das pinceladas imprecisas típicas do movimento impressionista. Berthe passava cada vez mais tempo em sua casa de verão que ficava no campo, a artista fez várias pinturas com temas intimistas e campestres, como a obra Dia de Verão.

Dia de Verão, Berthe Morisot.

No final de sua vida, Berthe Morisot se dedicou a aprender novas técnicas, como a ponta seca, e também retratava muito a sua filha, Julie, em suas pinturas.

Julie e seu galgo, Berthe Morisot.

Seu marido, Éugene Manet, morreu de complicações da sífilis. Alguns anos depois da morte de Manet, Berthe Morisot sucumbiu pela mesma doença no ano de 1895. Berthe Morisot deixou um grande legado de obras impressionistas e entrou para a história da arte junto com artistas das vanguardas artísticas europeias como Claude Monet, e Édouard Manet (seu cunhado).

Referências:

https://fr.wikipedia.org/wiki/Berthe_Morisot

Um comentário em “Berthe Morisot, co-fundadora do movimento impressionista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.