Jean Fouquet, o maior pintor francês do início do renascimento

Jean Fouquet nasceu no ano de 1420, na cidade de Tours, na França. O artista foi um miniaturista, pintor, e se tornou o primeiro artista renascentista francês, apesar de ter sido treinado no estilo gótico internacional. Fouquet foi um pintor que confeccionou diversas iluminuras, aceitou encomendas para fazer livros das horas, suas miniaturas serviram como uma forma de registro histórico sobre eventos que aconteceram na Era Medieval. Além disso, Jean Fouquet foi um pintor de retratos, algo não era muito comum no fim da Idade Média.

Não se sabe muito sobre a vida de Jean Fouquet, principalmente quanto ao seu treinamento, existem registros de que ele esteve na Itália, que fez parte da corte de Luís XI. Sabemos sobre algumas encomendas do artista como uma encomenda em particular chamada de Livro das Horas de Etienne Chevalier.

O livro de horas é uma obra litúrgica feita para católicos leigos, ou seja, um livro de orações para cada hora do dia, sendo feito na forma de um manuscrito iluminado, muito popular na Idade Média. A importância desses livros de horas está justamente no fato dele conter diversas iluminuras, ser amplamente decorado, ter muitas páginas, chamadas de fólios.

Existem poucas páginas sobreviventes, do Livro das Horas de Etienne Chevalier em relação ao original, existem em torno de quarenta e nove fólios restantes. Das páginas que restaram, a que está na imagem abaixo se chama Adoração dos Magos.

Adoração dos Magos, Jean Fouquet.

Adoração dos Magos é uma iluminura que tem perspectiva, diferente das que são vistas no auge da Era Medieval, em torno do século IX ou X. Esse tema da Adoração dos Magos se torna muito popular no renascimento. Temos o uso do azul ultramarino, cujo pigmento vem da pedra semipreciosa chamada de lápis-lazúli, isso indica que Etienne Chevalier é um homem rico. Eu ainda não tinha falado sobre quem era esse homem ainda, mas ele é tesoureiro do rei Carlos VII da França, então, muitas vezes a pintura revela muito sobre a pessoa que a encomendou.

Na imagem abaixo está outra iluminura do Livro das Horas de Etienne Chevalier, a Natividade.

Natividade, Jean Fouquet.

Em Natividade temos um tipo de relevo que eu já tinha percebido na pintura anterior, o relevo de sabonete. Parece que o artista faz um molde com um pequeno relevo das figuras humanas e do cachorrinho no canto direito e depois pinta por cima. Ele consegue dar perspectiva em relação a paisagem, ao fundo, aos personagens, mais ainda falta volume. Temos uma evolução estética em relação ao gótico que não tinha nem relevo. mas isso acontece em passos lentos.

O artista possui um talento único, porque reúne diversos elementos numa mesma pintura e consegue criar uma atmosfera muito especial com a luz que aparece acima do teto, onde aparece um tipo de janela que ilumina o menino Jesus, ao mesmo tempo que trás uma atmosfera sagrada a essa iluminura.

Outra pintura que está nesse Livro das Horas de Etienne Chevalier se chama Anúncio à Virgem de sua morte iminente.

Anúncio à Virgem de sua morte iminente, Jean Fouquet.

Anúncio à Virgem de sua morte iminente faz parte de uma das iluminuras pintadas pelo artista, aqui ele mostra características renascentistas como o aperfeiçoamento no uso da perspectiva. A Virgem Maria aparece sentada com as mãos juntas como se estivesse em oração, e um anjo do lado direito, colocar essas figuras humanas num cenário um pouco mais elaborado e detalhista mas de um jeito mais realista e simples era algo que o artista fazia com muita habilidade. No gótico internacional, a ornamentação, o uso do ouro era uma característica desse estilo artístico, mas Jean Fouquet dispensava esses elementos eu suas pinturas.

Fouquet foi contratado para iluminar, ou seja, ilustrar um manuscrito iluminado chamado de Grandes Crônicas da França, que é uma obra que deveria retratar a História da França. Os eventos descritos nessa obra eram as coroações, algumas batalhas importantes, homenagens. as Cruzadas,. Na imagem abaixo se encontra A Coroação de Carlos Magno.

A Coroação de Carlos Magno, Jean Fouquet.

A Coroação de Carlos Magno retrata um evento muito importante na história da França, a coroação do Rei dos Francos pelo Papa Leão III. Fouquet pintou o momento que o rei recebe a coroa do papa, nessa iluminura temos os participantes presumidos desse evento como os bispos e membros da Igreja, e a Catedral em que isto aconteceu. Fouquet utilizou uma paleta de cores multicolorida para pintar essa iluminura, apesar de todos esses detalhes, o artista não se rendeu ao gótico internacional.

O fato da maioria de suas miniaturas e pinturas de Jean Fouquet ser do chamado primeiro renascimento, o artista também pintou obras do gótico internacional como podemos ver num retrato feito pelo artista chamado de Retrato de Guillaume Jouvenel des Ursins.

Retrato de Guillaume Jouvenel des Ursins, Jean Fouquet.

O Retrato de Guillaume Jouvenel des Ursins é uma pintura gótica, temos a ornamentação, o uso de folhas de ouro, além do achatamento da figura retratada, Guillaume des Ursins.

Jean Fouquet morreu em 1781.

Referências e Imagens

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Fouquet

Compre meu e-Book na Amazon:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.