Paul Ranson e o Pós-Modernismo

Paul-Élie Ranson nasceu no ano de 1861 em Limoges na França. O artista faz parte do movimento artístico chamado de pós-impressionismo e também era parte do movimento Les Nabis. Ranson se tornou parte do modernismo europeu, fazendo uma arte abstrata e pós-impressionista. O artista também fez parte da Art Nouveau. O pinto também abriu uma escola de arte chamada de Académie Ranson.

O artista era órfão de mãe e foi criado pelo pai, seu avô apresentou o desenho a Paul Ranson. Então, Ranson acabou se matriculando na Escola de Belas Artes de Limoges, o artista decidiu se mudar para Paris para estudar na Escola Nacional de Artes Decorativas e depois na famosa Academia Julian, onde conheceu os artistas do movimento artístico Les Nabis. Uma de suas pinturas dessa época se chama Paisagem de Nabis.

Paisagem Nabis, Paul Ranson. (Wikimedia Commons)

Paisagem Nabis é uma pintura com características pós-impressionistas como o uso de uma paleta de cores primárias, uma certa abstração, além da representação de figuras mais idealizadas. No canto esquerdo temos um homem que está abaixado colhendo uma flor, no seu lado direito temos o que parece ser um pavão e tem a figura de uma mulher na parte superior direita, e atrás vemos uma lua e uma estrela, com montanhas ao fundo.

Antes de entrar para os Nabis, Paul Ranson já pintava temas mais espirituais e religiosos como podemos ver na pintura chamada Cristo e Buda.

Cristo e Buda, Paul Ranson. (Wikimedia Commons)

Em Cristo e Buda temos a representação de símbolos de duas religiões diferentes, a budista e a cristã. A imagem de Jesus Cristo aparece mais ao fundo na cruz, e na frente temos a imagem de Buda. O artista também usa cores primárias para pintar essa obra, e já mostra elementos da pintura pós-impressionista. Paul Ranson se interessava por Teosofia, algo que unia a filosofia e a religião, além de se interessar por espiritualismo e a própria religião mesmo.

Além de pintar temas pós-modernistas o artista também sabia pintar obras sobre a natureza usando cores brilhantes como podemos ver em Macieira com frutas vermelhas.

Macieira com frutas vermelhas, Paul Ranson. (Wikimedia Commons)

Macieira com frutas vermelhas é uma pintura com uma paisagem de uma macieira que o artista utiliza uma paleta de cores amarela para criar um efeito de um amarelo brilhante. Essa obra possui características pós-modernistas mas não é abstrata, a árvore é desenhada de um jeito mais idealizado, menos realista, mas mesmo assim não temos uma figura totalmente abstrata, podemos ver as folhagens, as maçãs, o tronco das árvores, a paisagem ao fundo, as montanhas. Nessa pintura o artista mostra toda sua versatilidade.

O artista tem uma certa fascinação por magia, espiritualidade, e no século XIX, mesmo com a ciência evoluindo, os movimentos feministas, ainda existia a associação de bruxaria, mulheres e gatos, por isso, Paul Ranson não escapou desse clichê e pintou a obra Bruxas em torno da fogueira.

Bruxas em torno da fogueira, Paul Ranson. (wikimedia Commons)

Bruxas em torno da fogueira é uma pintura típica que mostra que podemos tentar tirar o homem do obscurantismo mas não podemos tirar o obscurantismo do homem. A imagem é um tanto clichê, temos gatos, cobras, caldeirão, chapéu de bruxa, mulheres, sapos. A estética é aquela pós-modernista, que é feito um desenho com linhas e depois faz uma pintura por cima, como se fosse aqueles desenhos da década de 1970/80 que passavam na TV.

Essas representações feitas sobre mulheres e bruxas pode ter vindo das crenças de Paul Ranson sobre misticismo, ocultismo, espiritualismo e teosofismo que o pintor tinha. Nessa época era bem comum ligar a arte a algo espiritual. Geralmente os artista ligavam a arte ou a espiritualidade ou a algo social, a arte pela arte não era muito bem vista nessa época, principalmente porque a sociedade estava passando por mudanças radicais.

Uma outra pintura de Paul Ranson que é meio cartoonizada da época do Nabis se chama Quarto Azul.

Quarto Azul, Paul Ranson. (Wikimedia Commons)

Quarto Azul é uma pintura da época que Paul Ranson fazia parte do Nabis. Essa obra possui a mesma característica da pintura Bruxas em torno da fogueira quanto a estética, primeiro foi feito um desenho e depois a obra foi pintada, por isso a imagem tem o mesmo resultado estético dos desenhos que passavam na televisão nos anos 1970 e 1980, com aquelas linhas finas, algo que também é uma característica pós-modernista. Outro detalhe sobre essa pintura é fato de lembrarem as obras de Paul Gauguin sobre as mulheres do Taiti que ele pintou.

Paul Ranson morreu em 1909 em Paris.

Imagens e Referências

https://en.wikipedia.org/wiki/Paul_Ranson

Compre meu e-Book na Amazon:

Um comentário em “Paul Ranson e o Pós-Modernismo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.