Gustave Moreau, um pintor simbolista místico

Gustave Moreau nasceu em 1826 na cidade de Paris na França. O artista foi parte importante do movimento conhecido pelo nome de Simbolismo. Moureau ficou conhecido pelas suas pinturas históricas peculiares que não tinha abordagem acadêmica, além de suas cópias dos antigos mestres. O pintor simbolista também era conhecido pela seu misticismo, exotismo e grande ornamentação em suas obras de arte.

O artista nasceu numa família da classe alta, seu pai era um arquiteto renomado, devido a esse contato proporcionado pelos desenhos arquitetônicos, o pai de Gustave Moreau deu a seu filho um caderno para que ele fizesse esboços, estimulando seu filho a se tornar arquiteto também, isso despertou em Gustave o gosto pela arte. O artista estudou técnicas artísticas com François Édouard Picot, um pintor neoclássico francês responsável por confeccionar a obra Cybele protege contra o Vesúvio as cidades de Stabiae, Herculaneum, Pompeii e Resina.

Cybele protege contra o Vesúvio as cidades de Stabiae, Herculaneum, Pompeii e Resina, François Édouard Picot.

Cybele protege contra o Vesúvio as cidades de Stabiae, Herculaneum, Pompeii e Resina é uma pintura neoclássica com características românticas que mostra uma cena carregada de emoções, vemos a representação de Vesúvio no lado direito da pintura, enquanto Cybele aparece vestida com uma blusa branca e saia caramelo. As pinturas de Gustave Moreau também apresentam essa carga emocional que ele aprendeu com seu mestre, François Édoard Picot.

Um outro artista que influenciou muito a arte de Gustave Moreau foi Théodore Chassériau, que é autor da pintura chamada de Batalha de Cavaleiros Árabes em torno de um estandarte.

Batalha de Cavaleiros Árabes em torno de um estandarte, Théodore Chassériau.

Batalha de Cavaleiros Árabes em torno de um estandarte é uma obra Romântica que lembra as pinturas de Eugène Delacroix, de fato, Chassériau era considerado um garoto prodígio em sua época, sendo o artista mais novo a expor no Louvre com apenas quinze anos de idade, Gustave Moreau apreciava muito as pinturas desse jovem artista talentoso.

Inspirado em Chassériau, Gustave Moreau pintou a obra chamada de Cântico dos Cânticos para expor no Salão de Paris de 1853.

Cântico dos Cânticos, Gustave Moreau.

Cântico dos Cânticos não chamou a atenção de ninguém e passou despercebido no Salão de Paris. Na verdade, até esse momento, todas as vezes que Gustave Moreau conseguiu alguma visibilidade, ou exposição a parte foram todas bancadas pelo dinheiro de sua família influente, e assim aconteceu com suas obras que foram compradas pela grande influência de seu pai.

O artista começa a chamar atenção por méritos próprios a partir da morte Théodore Chassériau, pois ele passa a não ter mais quem copiar, além de empreender um segundo Grand Tour para fazer cópias dos antigos mestres, aí ele retorna com algo novo, como podemos ver em sua cópia do Nascimento de Vênus:

O nascimento de Vênus.

Eu sei que alguns devem lembrar um pouquinho disso aqui:

Mas foi uma cópia e não uma restauração… Enfim.

Gustave Moreau começa a desenvolver um estilo próprio, suas pinturas deixam de ter um estilo academicista e passam a ser mais simbólicos, suas representações não são mais estritamente realistas, como podemos ver na pintura a baixo chamada de São Jorge matando o dragão:

São Jorge matando o dragão, Gustave Moreau.

A pintura acima foi feita em Veneza após Moreau estudar Vittore Carpaccio. Ele saiu pela Europa em busca de mais icones para pintar e apresentar nas exposições, até retornar a Paris e expor no Salão de 1876, onde nasceu o Simbolismo.

Nesse evento, Gustave Moreau expôs suas melhores obras como Salomé dançando na frente de Herodes.

Salomé dançando na frente de Herodes, Gustave Moreau.

Na pintura acima, Moreau consegue reunir diversas culturas diferentes, além de sua grande ornamentação que se tornou um símbolo de sua pintura simbolista, a representação de temas bíblicos como esse tema que foi tirado do Antigo Testamento. Outra pintura de Gustave Moreau que foi exposta no Salão de Paris de 1876 se chama A Aparição e também mostra Salomé.

A Aparição, Gustave Moreau.

A Aparição é uma pintura simbolista de Gustave Moreau que também apresenta a mesma temática de Salomé no Antigo Testamento. Na história bíblica, Salomé pede a cabeça de João Batista, e a cabeça dele é cortada e entregue a ela, por isso que nessa pintura o artista retratou a cabeça flutuando com uma aura, enquanto Salomé, a mulher que está à esquerda, estende a mão em direção a essa cabeça. Assim como na pintura anterior, Salomé aparece vestida com muitas joias, o ambiente está decorado como se fosse uma festa, a única coisa que quebra esse ambiente festivo é a mancha de sangue no chão que vem da cabeça de João Batista.

Além dessas pinturas simbolistas que foram expostas em Paris, o artista ainda criou diversos arquétipos sobre mulheres, foi escultor e teve uma carreira como escultor.

Gustave Moreau morre em 1898 em Paris na França.

Compre meu e-Book na Amazon:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.