Jean-Honoré Fragonard, o último artista do Antigo Regime Francês

Jean-Honoré Fragonard nasceu no ano de 1732 em Grasse na França. O artista foi um dos últimos que fizeram parte do chamado Antigo Regime que antecedeu a Revolução Francesa e depois o novo governo da França que se instalou depois do Regime imposto por Napoleão Bonaparte. Fragonard fazia parte do movimento artístico do rococó, pintando um estilo muito exuberante e escandaloso, aproveitando ao máximo tudo o que o rococó tinha a oferecer ao artista.

A família deixa Grasse enquanto Jean-Honoré Fragonard ainda era uma criança e se mudam para a cidade de Paris. Fragonard se mostra um artista muito habilidoso e por isso passa a ser um aprendiz do pintor renomado Jean Siméon Chardin. O professor de Jean-Honoré Fragonard era um artista especialista em natureza-morta e pintura em pastel, podemos ver seu estilo artístico na obra abaixo que se chama Natureza morta, flores em um vaso.

Natureza morta, flores em um vaso, Jean Siméon Chardin.

Natureza morta, flores em um vaso, Jean Siméon Chardin retratou flores realistas, num vaso que aparenta ter características chinesas, algumas flores estão caídas do vaso.

Fragonard também estudou técnicas artísticas com François Boucher, um grande representante do movimento artístico rococó, podemos ver isso na sua pintura chamada de Jardineira Adormecida:

Jardineira Adormecida, François Boucher.

Jardineira Adormecida é uma pintura com características do rococó, como o uso do fundo escuro, da iluminação de destaque que está sobre a figura da mulher que é a jardineira, a utilização de uma cor viva como o vermelho, a escolha do tema pastoril na imagem do bode que aparece no canto esquerdo, além do cesto de flores que aparece no canto direito.

O artista foi encorajado a concorrer ao grande Prix de Rome, e submeteu sua obra chamada de Jeroboão sacrificando aos ídolos.

Jeroboão sacrificando aos ídolos, Jean-Honoré Fragonard.

Sua pintura Jeroboão sacrificando aos ídolos acabou ganhando o Prix de Rome e Fragonard fez o Grand Tour, que consistia em viajar pelas cidades dos chamados antigos mestres como Roma, Nápoles, Veneza, Borgonha, Milão, além de estudar arte na Academia de Roma. Essa obra que ganhou o prêmio apresenta características do barroco, com o uso desses contrastes, com todo o drama, a escolha por um tema histórico.

Fragonard era bem conhecido pelo gênero libertino, esse estilo fazia bastante sucesso no Antigo Regime, e voltaria a fazer sucesso após o fim da Revolução no Século XIX, mas enquanto ela ainda não havia eclodido, o artista confeccionou uma obra chamada de… Banhistas.

Banhistas, Jean-Honoré Fragonard.

Banhistas é uma pintura do movimento artístico do rococó, o artista retrata um cenário idílico em que as figuras femininas parecem ninfas e estão bem iluminadas, a paleta de cores é verde, rosa, bege e azul, uma das ninfas parece estar flutuando nesse cenário ideal pintado por Fragonard, elas também parecem muito maiores que a vegetação. Jean-Honoré Fragonard pintou um rococó extremamente extravagante. A obra foi feita por volta do ano de 1765.

Uma outra pintura de Fragonard que é bem estilo rococó se chama As Boas Chances da Escarpolette.

As Boas Chances da Escarpolette, Jean-Honoré Fragonard.

As Boas Chances da Escarpolette retrata uma cena galante, ou seja, a mulher no balanço corteja um dos homens, enquanto deixa o outro nas sombras (no lado direito). Essa pintura mostra a suposta frivolidade do estilo artístico do rococó que não se importa com valores morais ou sociais, algo típico do Antigo Regime, e da Nobreza e da Realeza.

Fragonard fez uma pintura considerada como sendo um retrato e se chama A Leitora:

A Leitora, Jean-Honoré Fragonard.

A Leitora é uma pintura de retrato rococó, a jovem retratada não apresenta os mesmos trajes extravagantes das mulheres que vemos nas pinturas desse tipo e ela está lendo um livro, algo que não é muito comum também, já que a imagem da mulher da nobreza é frívola e extravagante. Talvez a mulher seja da burguesia que costumava ser mais contida. Apesar do traje da mulher, Fragonard pintou como os impressionistas do século XIX, com pinceladas rápidas.

Com a eclosão da Revolução Francesa, Jean-Honoré Fragonard teve que se adaptar e fazer novas conexões e se tornar amigo de artistas revolucionários como Jacques-Louis David e sua pintura neoclássica. Foi nessa época que Fragonard pintou sua obra mais controversa chamada de Le Verrou.

Le Verrou, Jean-Honoré Fragonard

Le Verrou tem um interpretação dúbia e foi rejeitada pelos artistas por causa das ligações de Fragonard com o Antigo Regime. Graças a sua ligação com Madame du Barry, amante do rei Luís XV, Jean-Honoré Fragonard, pode retornar a sua cidade natal, Grasse, com algumas de suas pinturas, na época da Revolução Francesa. O artista ficou conhecido como o último artista do Antigo Regime na França.

Compre meu e-Book na Amazon:

Imagens e Referências:

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean-Honoré_Fragonard

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.