Samuel Morse, muito além do inventor

Samuel Finley Breese Morse, ou Samuel Morse, nasceu no ano de 1791, em Boston, nos Estados Unidos. Samuel Morse é o grande inventor de telégrafo elétrico que funciona com uma espécie de alfabeto conhecido como código Morse. Sua invenção foi muito importante, sendo utilizada como meio de comunicação antes da popularização do telefone e posteriormente a invenção dos telefones celulares. Além de ter inventado um meio de comunicação, Samuel Morse também foi um artista.

O pai de Samuel era membro do Partido Federalista americano, o artista inventor estudou na Phillips Academy e depois ingressou na Universidade de Yale. Nesse período universitário, Samuel Morse trabalhou numa editora e se dedicou à pintura. Morse se mudou para Londres onde estudou arte por dois anos.

Uma das pinturas mais famosas do artista se chama Desembarque dos Peregrinos em Plymouth e está no catálogo da National Portrait Gallery do Instituto Smithsonian, infelizmente a pintura ainda não se encontra digitalizada.

Samuel Morse também fazia pintura de retratos, como o do quinto presidente norte-americano, James Monroe.

Retrato de James Monroe por Samuel Morse.

O estilo artístico de Samuel Morse tende ao Barroco, a escolha da paleta de cores sóbria porém contrastantes são uma característica do movimento artístico do Barroco, o uso do fundo escuro, o grande nível de detalhismo no retrato do presidente James Monroe, também permitem classificar essa pintura como sendo uma obra barroca.

Existe outra pintura que mostra claramente a tendência barroca de Samuel Morse, ela se chama Hércules Morrendo:

Hércules Morrendo por Samuel Morse.

Hércules Morrendo é considerada uma obra prima de Samuel Morse. Essa pintura tem características barrocas, como o uso dos contrastes, a pose que remete à uma grande dramaticidade, a luz de palco, que coloca Hércules como sendo o personagem principal, nesse caso não existe mais pessoas, a paisagem é colocada em segundo plano. A pose do Hércules é bem contorcida, e o personagem apresentam um grande detalhismo corporal.

Muitas pessoas enxergam na pintura Hércules Morrendo uma grande representação subliminar de seu posicionamento político sobre a questão das alianças que os federalistas fizeram. Para pintar essa tela, Samuel Morse confeccionou uma escultura que serviu de modelo para o artista.

Apesar das pinturas de Samuel Morse apresentarem características barrocas, o artista estudou o Renascimento e seus pintores preferidos eram Rafael e Michelangelo. O renascentista Rafael, em suas últimas pinturas, evoluiu para uma estética pré-barroca.

Além de suas pinturas de retrato, o artista também fez pinturas retratando pessoa e paisagem como em sua obra A Capela da Virgem em Subiaco.

A Capela da Virgem em Subiaco por Samuel Morse.

A Capela da Virgem em Subiaco mostra algumas pessoas em frente a uma capela, aparentemente no nascer ou por do sol. Samuel Morse nasceu numa família religiosa calvinista, isso influenciou fortemente o artista durante a sua vida, e esses ideais religiosos se refletiram principalmente em suas pinturas, como aparece na pintura acima, onde pessoas aparecem num contexto religioso. As três pessoas representadas nessa pintura são uma mulher, e dois homens, um desses homens é um pastor e está guiando as ovelhas que estão na pintura, e o outro homem aparece com um fino bastão, como se fosse um desbravador, um pioneiro.

Devido ao seu grande envolvimento político com as grandes figuras de sua época, Samuel Morse fez retratos de pessoas importantes como o Marquês de Lafayette.

Marquês de Lafayette por Samuel Morse.

Na pintura acima, o Marquês de Lafayette é retratado numa pose imponente, ao por do sol, com um olhar imponente para o horizonte. No cenário aparecem dois bustos, Benjamin Franklin e George Washington. O Marquês de Lafayette, assim como Franklin e Washington, tiveram uma grande importância na construção dos Estados Unidos e seus ideais de liberdade e democracia. Samuel Morse retratou o Marquês no topo de uma escadaria, ao fundo aparece uma vegetação.

Uma outra contribuição de Samuel Morse é a pintura Galeria do Louvre:

Galeria do Louvre por Samuel Morse.

No século XIX muitos artistas iam para o Louvre copiar as obras dos grandes mestres, mas é difícil saber como seria uma cena com artistas na galeria pintando telas já que atualmente o Museu do Louvre tem uma coleção muito maior do que no período do século XIX, e algumas obras são colocadas atrás de um vidro com uma certa distância.

Na pintura Galeria do Louvre de Morse, podemos ver que o Louvre exibia pinturas como a Monalisa de Leonardo da Vinci, A Virgem do Prado de Rafael, também tem obras de Caravaggio. Nessa pintura também aparece artistas com cavaletes pintando telas.

*Uma curiosidade: foi nesse momento em que o artista está trabalhando nessa pintura, Galeria do Louvre, que Morse surgiu com a ideia do telégrafo ao encontrar com Charles Thomas Jackson, um estudioso de eletroímãs, e observar seus experimentos.

Morse também foi um dos fundadores da National Academy of Design em Nova Iorque.

Samuel Morse morre no ano de 1872 em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Referências e Imagens:

https://en.wikipedia.org/wiki/Samuel_Morse

Compre meu e-Book na Amazon:

2 comentários em “Samuel Morse, muito além do inventor

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.