El Greco, o precursor das vanguardas artísticas

Domínikos Theotokópoulos, conhecido como El Greco (O grego), nasceu no ano de 1541 numa região conhecida pelo nome de Candia, onde atualmente fica Creta. Ele fazia parte do movimento artístico maneirismo e suas obras também tinham um pouco de influência da arte bizantina. El Greco foi um artista que influenciou muito os pintores que fizeram parte dos movimentos artísticos de vanguarda. O artista possui um estilo único.

Quando o artista se muda para Veneza, por volta do ano de 1567, ele começa a frequentar um ateliê de pintura. Acredita-se que El Greco foi um discípulo de Ticiano. Porém pouco se sabe sobre a formação artística de El Greco.

Muito do que sabemos sobre os artistas que viviam na Itália e que foram da corrente artística da Renascença vem do livro As vidas dos mais excelentes pintores, escultores e arquitetos, escrito por Giorgio Vasari, um historiador de arte que foi contemporâneo a muitos artistas como Leonardo da Vinci e El Greco. Mas sabemos que os esboços e pinturas mais antigas de El Greco datam do ano de 1567, quando o artista estava em Veneza. Um dos seus primeiros trabalho foi a Dormition of the Virgin.

Dormition of the Virgin, El Greco.

Uma curiosidade é que a autoria de El Greco sobre esta pintura foi descoberta somente em 1983, quando removeram um candelabro que ficava perto da pintura e o nome El Greco apareceu. Foi constatado posteriormente que a assinatura era autêntica.

A pintura Dormição da Virgem (tradução em português) apresenta como característica uma mistura de influência da arte bizantina, a arte de Veneza e do movimento artístico chamado de maneirismo.

A adoração dos reis magos, El greco. (1568)

O artista se muda para Roma, e nesta cidade ele aprende as técnicas artísticas do maneirismo, que focava em criar obras com movimento que não fossem uma imitação completa da realidade mas sim uma idealização que buscava dar graça e elegância as obra feitas de acordo com essa corrente artística.

El Greco entra para a guilda de São Lucas e abre seu próprio estúdio artístico. O trabalho do artista fez muito sucesso em Roma, porém também atraiu diversas críticas.

O pintor decide se mudar para a Espanha em busca de tentar conquistar o rei espanhol Filipe II, e acaba se estabelecendo na cidade de Toledo. Neste lugar, El Greco faz muitas amizades que garantem diversas encomendas para o artista, inclusive uma série de pinturas para a Igreja de Santo Domingo el Antiguo, nas quais está incluída sua famosa obra A Trindade.

A Trindade, El Greco.

Seu objetivo na Espanha é fazer parte da corte do rei Filipe II, como um pintor oficial real. Ele consegue que a realeza encomende duas obras com ele. O artista conclui estes pedidos e um deles é um retábulo, e se chama a A adoração do nome de Jesus.

A adoração do nome de Jesus, El Greco.

Porém esta pintura não agradou o rei Filipe II, que nunca mais fez uma encomenda com o artista. Não se sabe ao certo o motivo da rejeição do monarca, muitos especulam que os personagens vivos e mundanos que aparecem abaixo das nuvens no céu, eram contra os princípios do que o rei esperava para uma pintura religiosa.

Sem o patrocínio real, El Greco teve que permanecer na cidade espanhola de Toledo porém o artista continua recebendo pedidos de encomendas, a Igreja Católica, representada pelos religiosos de Toledo, é uma das maiores clientes do artista. Por isso muitas de suas pinturas tem cunho religiosos, ou são retratos de cardeais e bispos da Igreja.

Uma de suas pinturas foge um pouco dos temas religiosos que o artista costumava pintar, o nome desta obra é O Menino soprando fósforo que ele pintou entre os anos de 1571 e 1572, quando provavelmente o artista ainda estava em Roma.

O menino soprando um fósforo. El Greco.

O artista era muito bem sucedido em Toledo, suas pinturas proporcionavam uma vida com um padrão elevado, El Greco era dono de um prédio que tinha três apartamentos e mais de vinte salas. Ele vivia uma vida luxuosa, apesar de não ter conseguido fazer parte da corte do rei Filipe II. O artista nunca se casou, tinha uma companheira mas ela não era rica. El Greco é um dos raros casos em que um artista é reconhecido por suas obras de arte ainda em vida.

Sua última encomenda foi feita por um hospital onde ele possivelmente pegou alguma doença, pois El Greco morre com febre por causa de alguma infecção no ano de 1614.

El Greco teve uma papel fundamental nas vanguardas artísticas europeias. Uma das obras mais famosas e polêmicas do artista Pablo Picasso, Les Demoiselles d’Avignon, teve uma clara inspiração na obra A abertura do quinto selo de El Greco.

A abertura do quinto selo, El Greco.

Alguns estudiosos de artes chegara a conclusão de que Les Demoiselles d’Avignon tem o mesmo enquadramento da obra de El Greco.

Les Demoiselles d’Avignon, Picasso.

O artista é redescoberto no século XIX e é considerado um precursor do movimento de vanguardas artísticas europeias. Seu estilo único foi uma grande inspiração que fez diversos artistas de vanguarda a procurarem um estilo próprio de cada artista.

Referências e leituras:

https://en.wikipedia.org/wiki/El_Greco

2 comentários em “El Greco, o precursor das vanguardas artísticas

Deixe uma resposta para adcarrega Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.