Muro de Berlim e a divisão do mundo em capitalismo e comunismo

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, o mundo passou por um processo de polarização entre os regimes políticos econômicos capitalistas e os comunistas. A divisão do mundo entre o bem(capitalismo) e o mal(comunismo) numa visão estereotipada ocidental. Eu não inclui democracia como característica essencial do mundo capitalista pois os norte-americanos apoiaram golpes de estado a fim de afastar a América Latina do comunismo. Chile, Argentina e Brasil passaram por um processo de ditadura militar capitalista, pois os militares latinos tem complexo de salvador, são conservadores e pensam que ser alinhado aos Estados Unidos é a melhor opção.

Fim da Segunda Guerra Mundial, fim da aliança

Quando a Alemanha nazista foi finalmente derrotada, as condições da Segunda Guerra Mundial que uniu a Rússia(União Soviética) aos interesses de países como Reino Unido, França e Estados Unidos acabaram. Durante a guerra essa aliança foi forçada pelas decisões de Hitler. A Alemanha foi invadida pelos aliados e ao fim da guerra, a Alemanha foi “dividida” entre os aliados que possuíam interesses diferentes. É inegável o papel da União Soviética e o Exército vermelho de Stalin tiveram na vitória dos aliados, muitas regiões foram libertadas do nazismo pelo exército vermelho. Também a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial teve um papel importante na vitória jb dos aliados.

A capital do terceiro Reich, Berlim foi ocupada e dividida pelos quatro aliados: França, Estados Unidos, Reino Unido e União soviética (Acordo de Potsdam).

A divisão de Berlim em quatro setores de ocupação (Britânicos, Americanos, Franceses e Sovitéticos). Wikipedia

Após a ocupação da Alemanha pelos aliados foi criado o Conselho de Controle Aliado um órgão governante que traria dos assuntos da ocupação de território da Alemanha pelos aliados e tomariam atitudes para desnazificar a Alemanha revogando leis do regime nazista.

As divergências ideológicas entre os aliados começaram a aparecer, e a União Soviética começa a implantar o regime comunista nos países que ocuparam após a derrota dos nazistas, estes países incluem a Polônia, Hungria, Romênia etc. Em Berlim, a URSS instituiu o bloqueio de Berlim, e não permitiu que os ex-aliados utilizassem as rodovias e ferrovias sob controle soviético. Isto deu início a uma crise entre os soviéticos e os ex-aliados (França, Reino Unido e Estados Unidos).

Símbolo da União Soviética.

Na Alemanha ainda existia remanescentes dos partidos que foram duramente reprimidos pelo regime nazista, o Partido Social Democrata(PSD) e o Partido Comunista da Alemanha (KPD). Estes dois partidos foram unidos em um único partido, o Partido da Unidade Socialista (SED).

A corrida para o lado ocidental

O SED ficou alinhado aos interesses soviéticos e fizeram um governo repressivo com economia socialista centralizada e meios de produção estatais, enquanto no lado ocidental havia a um estado não repressivo com economia capitalista neoliberal. Enquanto a vida dos alemães que estavam na ocupação ocidental melhorava rapidamente, o forte controle da economia no lado oriental trouxe um desenvolvimento lento, pobreza e miséria.

Moscou na URSS, assim como na Berlim Oriental, a arquitetura era sóbria e cidade tinha este tom de bege. (Pixabay)

Ninguém quer ficar num regime repressivo sendo condenado a pobreza, portanto os alemães do lado oriental começaram a migrar em massa para o lado ocidental, mais rico e com mais oportunidades de crescimento econômico. Vale lembrar que o governo dos Estados Unidos promoveu reformas e financiou a reconstrução dos lugares que estavam em seu domínio após a Segunda Guerra Mundial.

Berlim Ocidental em 1965. (Pinterest)

Os soviéticos haviam fechado as fronteiras internas da Alemanha, então o único acesso ao mundo ocidental pelos alemães eram as três áreas ocupadas pelos países França, Reino Unido e Estados Unidos. A Alemanha tentou impedir esta migração criando leis mais duras, mas mesmo assim o fluxo de migrantes para o ocidente continuava. Além de que em Berlim ainda podia viver no lado oriental e trabalhar no lado ocidental.

Os planos econômicos impostos pela sede da URSS, Moscou não estavam funcionando, a coletivização de terras imposto sobre os países sob o domínio soviético resultavam em escassez de alimentos. E o fluxo de mercadorias e dinheiro para o lado ocidental da Alemanha atrapalhava os planos econômicos dos soviéticos.

Construção do Muro de Berlim

A Alemanha oriental fez um plano secreto de construção de um muro para impedir essa fuga de pessoas e dinheiro para o lado ocidental. Então, no meio da noite, no ano de 1961 começou a construção do muro com a instalação de cercas de arame farpado. Os países ocidentais reagiram ficando atônitos olhando isto acontecer, como ficaram em choque quando Hitler havia invadido a
Polônia. Eram as mesmas pessoas no poder então a reação a construção do muro não poderia ter sido diferente.

Reação dos países ocidentais.

A partir do momento em que o muro foi construído muitas pessoas perderam seus empregos e um lado da cidade crescia freneticamente(Berlim ocidental) enquanto o outro parou no tempo. A construção deste muro também marcou polarização do mundo em aliados dos Estados Unidos e aliados da União Soviética, era o início da guerra fria.

Uma parte do muro de Berlim. (Pixabay)

Em 1989 aconteceu a queda do Muro de Berlim. A União Soviética no fim da década de 1980 estava economicamente falida, o modelo de economia socialista criada pelos soviéticos, somados ao sistema político de cargos e amigos no poder, não conseguiu se sustentar por mais tempo. O desastre de Chernobyl três anos antes havia mostrado a fragilidade do sistema político soviético. O último líder da União Soviética, Mikhail Gorbatchov (Gorbachev, no Brasil), percebeu que os tempos estavam mudando e promoveu políticas de abertura de economia.

Queda do Muro de Berlim em 1989. (Pinterest)

Três semanas após a derrubada do Muro de Berlim, a Guerra Fria finalmente acabou. A partir deste momento o mundo socialista que supostamente ameaçava o mundo ocidental, acabou. Qualquer discurso de golpe comunista não faz mais sentido após este momento, tudo o que sustentava qualquer tipo de regime socialista acabou, a ameaça comunista não existe mais a partir da queda do muro de Berlim.

Infelizmente muitas pessoas não entenderam o simbolismo deste momento, não perceberam o significado da queda do Muro de Berlim, e 32 anos após a queda deste muro ainda convivem com o medo de um mundo que não existe mais.

2 comentários em “Muro de Berlim e a divisão do mundo em capitalismo e comunismo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.