Quarentena faz diferença? A importância da quarentena em grandes epidemias.

A humanidade passou por vários surtos de doenças ao longo da história mas quais foram as medidas tomadas pela população/governos durante essas epidemias? Vamos começar pela gripe espanhola, ou gripe de 1918.

É só uma gripezinha?

Os vírus que causam a gripe em seres humanos podem ser de quatro gêneros: Influenza A, Influenza B, Influenza C e Influenza D. A pandemia do “coronavirus” ou COVID-19 em 2019/2020 é causada pelo vírus SARS-CoV-2. São dois tipos de vírus diferentes, eles não pertencem nem ao mesmo grupo biológico. Porém surtos de gripe podem ser tão graves quanto o do COVID-19 (SARS-CoV-2).

Em 1918 um surto de gripe matou entre 50-100 milhões de pessoas. O vírus que causou essas mortes é o Influenza A do subtipo H1N1, é o mesmo vírus da pandemia em 2009. O que aconteceu em 1918 serviu como base para as medidas tomadas em 2009.

O primeiro surto de H1N1 foi mortal, essa gripe fez vítimas fatais na faixa etária de 20 a 29 anos que não tinha defesas contra esse tipo de vírus. Como o mundo estava em guerra, a imprensa era proibida de divulgar essa espécie de notícia, então, somente quando o surto chegou na Espanha as pessoas ficaram sabendo que havia uma epidemia terrível de gripe.

influenza1918-1

Nos Estados Unidos a gripe espanhola fez 600 mil vítimas fatais, e cada localidade tomou medidas diferentes contra essa epidemia. A cidade que teve o maior número de infectados e mortos foi a Philadelphia.

Philadelphia resistiu a tomar medidas contra a epidemia. Essa cidade não proibiu eventos com aglomerações de pessoas e recebeu um desfile de soldados para arrecadar dinheiro pra Primeira Guerra Mundial. Nesse evento usaram máscaras de proteção mas não adiantou.

Outra cidade que não quis impor medidas de quarentena foi Baltimore. A cidade tinha 2 mil soldados infectados num acampamento, mesmo assim não fechou as escolas e locais de encontros. O resultado disso foi que as pessoas ficaram tão doentes que não podiam mais ir trabalhar, os hospitais ficaram lotados e as funerárias também.

influenza1918

Um exemplo bem sucedido foi a cidade de São Francisco, que conseguiu escapar do pior da epidemia. As autoridades locais tomaram medidas para evitar que a gripe se espalhasse.

O Dr.William Hassler, autoridade em saúde pública de São Francisco, colocou em quarentena as bases militares, antes de ter um caso de gripe. Também mandou fechar escolas e lugares com aglomerações e separou a cidade em distritos para preparar a cidade para quando a gripe espanhola chegasse. Além de ter criado uma campanha educativa sobre prevenção, incentivando as pessoas a lavarem as mãos, evitarem aglomerações e foram distribuídas máscaras para a população. A cidade escapou quase ilesa do surto de gripe espanhola.(1)

Peste Negra – Quarantino 

A peste negra, peste bubônica ou a grande praga, foi uma das piores e mais famosas epidemias que a Europa sofreu nos séculos XIV e XVII. Essa doença é causada por uma bactéria que tem como vetor as pulgas de ratos mas ela também pode ser transmitida através de contato com os doentes.

greatplague

No surto que ocorreu no ano de 1347, apesar do pouco conhecimento em medicina e biologia (eles não sabiam que existiam bactérias e vírus nessa época). A peste chegou pelos portos de Veneza e se espalhou pela Europa, e alguns oficiais de uma cidade portuária controlada por Veneza resolveram impor isolamento aos navios que atracavam nos seus portos. Eles começaram com um isolamento de trinta dias e posteriormente estenderam para quarenta (quarantino)(2) dias. Sim, essa é a origem da palavra quarentena.

Mas será que é possível ter sucesso numa quarentena por causa da Peste Negra? Já que as pulgas são um dos vetores da doença…

A resposta é sim. Durante o surto de peste bubônica no ano de 1666, uma cidade da Inglaterra resolveu se impor quarentena pra não espalhar a praga para as localidades vizinhas: Eyam.

theplaque
O caos nas cidades tomadas pela Peste.

A doença chegou nessa cidade através de cobertores infestados com pulgas e as pessoas se sentiram condenadas por essa grande praga pois ouviram falar do que acontecia nos lugares que tinham doentes e mortos pela peste. Então resolveram se fechar. A cidade recebia comida através de um local que tinha uma pedra. Eles deixavam as moedas nessa pedra e os comerciantes deixavam a comida. Um monte de pessoas dessa cidade acabaram morrendo mas os lugares vizinhos não se contaminaram com a peste.(3)

Seja nos anos de 1347, 1666, 1918 ou 2020. A quarentena é importante para evitar que uma doença se espalhe, deixe vários mortos e pessoas debilitadas que vão parar de trabalhar.  Evitar uma quarentena, colocando a economia acima de tudo é ignorar lições do passado. Lições que mostram que a economia vai sofrer de qualquer jeito mas ela se recupera mais rápido em lugares que respeitaram a quarentena e seguiram medidas sanitárias de prevenção.

*Hoje, dia 01/04/2020, 7:50 no horário de Brasília, o surto de COVID-19 infectou 872 mil pessoas e matou 43 mil pessoas, número muito maior do na epidemia de H1N1 no ano de 2009. Acompanhe nesse site: https://www.worldometers.info/coronavirus/

Referências:

(1) Documentário We Heard The Bells: The Influenza of 1918.

(1) https://www.washingtonpost.com/history/2020/02/29/1918-flu-coronavirus-trump/

(2) https://www.history.com/news/pandemics-end-plague-cholera-black-death-smallpox

(3) https://www.washingtonpost.com/history/2020/03/02/bubonic-plague-coronavirus-quarantine-eyam-england/

 

Um comentário em “Quarentena faz diferença? A importância da quarentena em grandes epidemias.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.