Antoine-Jean Gros, o pintor das batalhas de Napoleão Bonaparte

Antoine-Jean Gros nasceu no ano de 1771 em Paris na França. O artista faz parte do movimento artístico denominado de neoclassicismo. Gros se tornou um pintor renomado graças ao patrocínio de Napoleão Bonaparte e sua viagem acompanhando as tropas do general francês por vários anos resultando em diversas pinturas sobre as batalhas lendárias de Napoleão, algumas com uma ótica mais realista do que romântica, além disso Gros foi aluno do famoso artista Jacques-Louis David.

O artista era filho de Jean Antoine Gros um pintor miniaturista e colecionador de obras de arte. Antoine-Jean Gros estudou técnicas artistas com Jacques-Louis David um artista neoclássico que se tornou um pintor revolucionário pois participou ativamente na Revolução Francesa tendo produzido a famosa pintura chamada A morte de Marat.

A morte de Marat, Jacques-Louis David

A pintura A morte de Marat mostra um evento em que o revolucionário francês – que escrevia panfletos inflamados numa das fases mais sangrentas da Revolução Francesa, incitando cada vez mais condenações de pessoas a guilhotina – acabou sendo assassinado por uma mulher que acreditava que isso traria menos execuções, porém Marat acabou se tornando um mártir.

Assim como seu mestre Jacques-Louis David, Antoine-Jean Gros também teve que passar pela época da Revolução Francesa.

Uma das pinturas de Antoine-Jean Gros, que mais tarde recebeu o título de Barão Gros, de Napoleão Bonaparte se chama Napoleão Bonaparte na ponte de Arcole.

Napoleão Bonaparte na ponte de Arcole, Antoine-Jean Gros.

Napoleão Bonaparte na ponte de Arcole é uma pintura que mistura duas correntes artísticas, os traços finos do neoclassicismo ao pintar os Napoleão Bonaparte e o Maneirismo ao fundo dessa obra. Na mão direita Napoleão segura uma espada e na esquerda uma bandeira, do jeito que Gros representou essa bandeira, o formato, a posição, como o vento sopra, parece um pouco com uma foice.

O artista viajou junto com um exército durante alguns anos, por isso deve ter visto muitas coisas no campo de batalha, em algumas pinturas Antoine-Jean Gros externalizou isso, assim como Eugène Delacroix que acabou incorporando os horrores de uma guerra que ele presenciou em suas pinturas. Podemos ver isso em A Batalha de Nazaré.

A Batalha de Nazaré, Antoine-Jean Gros.

A Batalha de Nazaré é uma pintura que está acontecendo um conflito, existe homens com espadas montados em cavalos, outros armados com espingardas, existe até mesmo um soldado segurando uma espada prestes a por no inimigo, temos homens caídos, fumaça do lado direito da pintura. Essa obra destoa de uma pintura neoclassicista sendo parte do movimento artístico romântico.

Além de pintar campos de batalha, Antoine-Jean Gros também pintava retratos, um desses retratos se chama Madame Pasteur.

Madame Pasteur, Antoine-Jean Gros.

Madame Pasteur é uma pintura com características barrocas, a mulher retratada nessa obra está representada num fundo totalmente preto, numa pose que também era comum em pinturas do movimento artístico barroco. A mulher está de perfil, num vestido branco, o que pode sugerir que seja uma pintura de casamento. Não é possível ver o nível de detalhes que Gros aplicou nas mãos da figura feminina que ele retratou nessa obra. Nessas pinturas do gênero retrato o Barão Gros não utilizou o neoclassicismo que aprendeu com o renomado e revolucionário artista Jacques-Louis David. Essa obra se encontra atualmente no museu do Louvre.

Uma outra pintura de retrato do artista se chama Retrato do segundo tenente Charles Legrand.

Retrato do segundo tenente Charles Legrand, Antoine-Jean Gros.

Retrato do segundo tenente Charles Legrand é uma pintura típica que mostra um homem de alta patente militar junto do seu cavalo, nessa época era comum retratar um militar assim. O homem se encontra olhando para o lado esquerdo com um ar de altivez e superioridade, além disso seus trajes são os mesmos do campo de batalha, e estão impecavelmente limpos, o artista escolheu retratar o homem numa paisagem natural, a paleta de cores são de cores realista.

Napoleão Bonaparte encomendou uma tela de Antoine-Jean Gros, Bonaparte visitando as vítimas da peste de Jaffa.

Bonaparte visitando as vítimas da peste de Jaffa, Antoine-Jean Gros.

Bonaparte visitando as vítimas da peste de Jaffa é uma pintura encomendada para fazer Napoleão parecer mais humano e empático, o objetivo do general francês era criar uma mitologia em torno de sua figura. Na realidade Napoleão ordenou que os soldados franceses que sofriam da peste fossem envenenados com ópio. O artista submeteu essa obra ao Salão de Paris de 1804, quando as pessoas viram essa pintura, Antoine-Jean Gros foi aclamado como um grande artista.

Antoine-Jean Gros morreu no ano de 1835.

Referências e Imagens:

https://en.wikipedia.org/wiki/Antoine-Jean_Gros

Compre meu e-Book na Amazon:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.