Pontormo e o início do Maneirismo

O Maneirismo foi um movimento artístico também chamado de Renascimento tardio. O Maneirismo culminou no barroco. A estética artística da Renascença evoluiu conforme as gerações de artistas foram surgindo, na Idade Média as figuras sofriam de falta de profundidade e perspectiva, no Renascimento os artistas passaram a estudar perspectiva, iluminação, sombras e cores. A arte se uniu à matemática nessa relação sobre como criar um efeito mais realista nas pinturas.

Por isso, surgiu artistas como Leonardo Da Vinci, que criou uma técnica artística chamada de sfumato, em que a transição de cores passa a ser um pouco mais fluída e menos rígida com as linhas marcantes que deixavam a pintura artificial.

No Maneirismo existe uma certa distorção da realidade, os artistas trabalham com figuras muito mais dramáticas e com certa falta de proporção. O pintor sacrifica o realismo para criar um efeito dramático. No Barroco a arte volta a ser mais proporcional. Esse estilo artístico também mostra figuras contorcidas e muito alongadas. A perspectiva é muito distorcida, diferente da pintura renascentista que buscava uma perspectiva mais realista.

Maneirismo foi a palavra usada pelo historiador de arte, Giorgio Vasari, esse termo foi usado para definir o jeito (a maneira) que cada artista usa na hora de fazer uma pintura ou escultura. Um dos artistas do início do maneirismo se chama Pontormo.

Pontormo

Jacopo Carucci, mais conhecido como Pontormo, nasceu no ano de 1494, em uma região chamada Pontorme. O artista é um dos primeiros pintores da corrente artística do Maneirismo. O pintor utiliza a perspectiva de uma forma distorcida, criando imagens que flutuam num ambiente sem força da gravidade.

O artista foi mandado à Florença como um aprendiz. Pontormo aprendeu técnicas artísticas no ateliê de Andrea del Sarto, um pintor da Alta Renascença. Uma das pinturas de del Sarto se chama Madonna das Harpias.

Madonna das Harpias, Andrea del Sarto.

Madonna das Harpias é uma pintura tipicamente renascentista, porém com o começo do uso de luzes e sombras dramáticas, como o fundo preto, algo que não era muito utilizado em pinturas renascentistas. Andrea del Sarto ainda usa a perspectiva e cria uma imagem realista, embora tenha essas características dramáticas que seriam usadas no maneirismo e no barroco.

Pontormo era um artista muito requisitado na Florença tendo como patronos, inclusive, a poderosa família Médici. O artista começou a pintar com um estilo artístico próprio desde suas primeiras encomendas, uma das pinturas que mostram esse início de obras artísticas maneiristas se chama Visitação de Carmignano:

Visitação de Carmignano, Pontormo.

Na pintura acima vemos que o artista pintou figuras alongadas, e ensaiou um inicio de iluminação dramática, utilizando um fundo mais escuro do que as normalmente utilizadas pelas obras de arte renascentistas, as personagens representadas apresentam certa torção do corpo, como podemos ver na primeira e segunda mulher da esquerda para a direita.

Existem pinturas que tem difícil atribuição, pois não se sabe se foram pintadas por Pontormo ou seu mestre Andrea del Sarto, pois os dois se utilizam de um fundo escuro para dar mais dramaticidade a pintura. Uma dessas pinturas se chama Mulher com uma cesta de fusos:

Mulher com uma cesta de fusos, Andrea del Sarto ou Pontormo.

Mulher com uma cesta de fusos possui características maneiristas na utilização da cor preta como fundo, e também a iluminação e os contrastes. Essa é uma das pinturas que não possui um estilo próprio tão marcante como as outras pinturas de Pontormo ou de Andrea de Sarto, por isso fica difícil atribuir quem é o artista que confeccionou essa tela.

Embora exista obras com dúvidas sobre a autoria, existem obras conhecidas e mais marcantes de Pontormo, uma dessas pinturas é a pintura de um retábulo para a Capela Capponi da Igreja Santa Felicitá na Florença. Essa pintura se chama O depoimento da Cruz:

O depoimento da Cruz, Pontormo.

Em O depoimento da Cruz vemos uma das características da pintura de Pontormo que é o uso de figuras distorcidas, alongadas e amontoadas. Não existe um chão que contém esses personagens representados na pintura de Pontormo. O artista utiliza cores claras para retratar as figuras humanos e o fundo mais escuro, que é algo característico do Maneirismo.

O artista também pintou usando fundo preto como podemos ver em sua pintura chamada de Madona com o Menino Jesus e com o Menino São João Batista.

Madona com o Menino Jesus e com o Menino São João Batista, Pontormo.

Na pintura acima vemos o uso do preto como cor de fundo, além da pose contorcida de um dos bebes e da própria Virgem Maria. Giorgio Vasari, o historiador de arte que escreveu sobre pintores de sua época em seu livro Le Vite, afirma que Pontormo usou como referência as pinturas de Michelangelo.

Várias das pinturas de Pontormo estão na Galeria Ufizzi na Itália, porém muitas pinturas do artista foram danificadas com o tempo.

Jacopo da Pontormo morreu no ano de 1557.

Compre meu livro na Amazon:

Um comentário em “Pontormo e o início do Maneirismo

Deixe uma resposta para Rebecca Cuningham Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.