Jean Metzinger, um grande artista cubista

Jean Dominique Antony Metzinger nasceu no ano de 1883 em Nantes na França. O artista fez parte de diversas correntes artísticas de vanguarda como o cubismo, neoimpressionismo e fauvismo. Metzinger foi o primeiro artista a escrever uma obra teórica sobre o cubismo, além de fundar e fazer parte do grupo de artistas chamados de Section d’or. Seu tratado Du “Cubisme” influenciou muito o movimento artístico do cubismo.

O artista teve seu primeiro contato com a arte quando estudou na Academia Cours Cambronne em Nantes. Metzinger decide se mudar para Paris para ir atrás de sua carreira artística. O artista apresentou três pinturas no Salon des Indépendants. Além de exibir suas obras de arte nesse Salão, Metzinger também expos no Salon d’Automne. Suas primeiras obras de arte tinham características neoimpressionistas utilizando as técnicas do divisionismo e pontilhismo. Podemos ver uma obra em que o artista pintou usando esses aspectos neoimpressionistas na pintura As Banhistas:

As Banhistas, Metzinger.

Metzinger pintou obras neoimpressionistas mostrando tudo o que aprendeu com os teóricos e pintores do movimento artístico, como Georges Seurat. Uma outra pintura com características neoimpressionistas pintada por Metzinger é Coucher de soleil no. 1:

Coucher de soleil no. 
1
, Metzinger.

A partir do ano de 1907 o artista começou a se interessar pelo cubismo após ver as pinturas de Paul Cézanne que havia feito obras consideradas protocubistas.

Diferente de Georges Braque que se voltou ao cubismo pintando objetos e natureza morta, Jean Metzinger optou por retratar pessoas utilizando as técnicas cubistas. Uma das obras de Metzinger dessa nova fase cubista do artista se chama Dois Nus, Duas mulheres:

Dois Nus, Duas Mulheres, Jean Metzinger.

A pintura acima foi exposta no Salon des Indépendants na edição de 1911. Foi nessa exposição que o cubismo de Jean Metzinger foi apresentado ao público. Essa nova técnica cubista causou um certo escândalo quando artistas e críticos de arte tiveram contato pela primeira vez com esse novo movimento artístico.

Na pintura Le goûter Metzinger retrata outro nú artístico feminino:

Le goûter, Jean Metzinger.

A obra acima foi reproduzida como uma ilustração para o tratado Du “Cubisme”. Jean Metzinger escreveu esse livro junto com o artista Albert Gleizes. Esse tratado foi publicado no ano de 1910, no mesmo período que a estética cubista foi inaugurada nesse mesmo ano. O crítico de arte Louis Vauxcelles definiu essa pintura como a Monalisa com uma colher.

Na época em que foi exposta, Le gaúter, também chamada de La Joconde du Cubisme, essa imagem se tornou mais famosa que qualquer obra de Picasso e Braque, de acordo com Michael Taylor, curador do Museu da Filadélfia, isso aconteceu em parte porque esses dois artistas não expuseram suas obras no Salão de Outono.

Jean Metzinger expos sua obra L’Oiseau bleu no Salão dos Independentes no ano de 1913: 

L’Oiseau bleu, Jean Metzinger. 

A pintura acima se tornou uma obra representativa do cubismo, Jean Metzinger, com essa pintura inaugurou um noto tipo de cubismo chamado de cubismo de cristal.

O artista não quis classificar seu cubismo com teorias geométricas, para Metzinger sua fragmentação de imagens não seguia uma lógica da geometria euclidiana. Em seu tratado Du “Cubisme” o artista fala que o cubismo estava criando uma nova concepção do espaço. Metzinger criou uma nova perspectiva em suas obras cubistas.

Femme à l’Éventail é uma outra pintura representativa do artista:

Femme à l’Éventail, Jean Metzinger.

Essa pintura foi exibida no Salão de Outono de 1912, tendo até mesmo uma foto dessa obra publicada no The Sun* no mesmo ano. As pinturas cubistas expostas nesses Salões causou um certo escândalo sendo até mesmo chamada de arte bárbara.

As obras de arte de Metzinger e dos cubistas em geral mostrava um grande afastamento da estética dos acadêmicos, que faziam uma pintura buscando a perfeição em todos os aspectos mas oferecendo somente um ângulo e uma perspectiva para o público. Para Jean Metzinger as obras de arte deveriam oferecer sensações mais do que mostrar a visão de uma imagem estática e congelada no tempo. O cubismo apresentava imagens mais dinâmicas sob diversos ângulos e perspectivas.

Por causa dessa relativização do espaço representada pelas artes cubistas algumas pessoas faziam um paralelo com a ciência, especialmente com a Teoria da Relatividade Geral, tentando achar uma relação entre o cubismo e a ciência que despontava nessa época. Jean Metzinger defendia o espaço quadridimensional de Albert Einstein. Existe uma lenda que diz que Niels Bohr havia sido inspirado por uma obra cubista de Metzinger para criar a teoria da mecânica quântica.

Jean Metzinger morre no ano de 1956 na cidade de Paris. Assim como Georges Braque e Pablo Picasso, Metzinger ajudou a criar a estética cubista e por causa disso entrou na História da Arte.

Imagens: Wikipedia

Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Jean_Metzinger

Compre meu livro na Amazon:

3 comentários em “Jean Metzinger, um grande artista cubista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.