Jean-Léon Gérôme, um artista orientalista

Jean-Léon Gérôme nasceu no ano de 1824 na cidade de Paris, na França. O artista faz parte do movimento artístico academicista. Gérôme era um dos artistas contra o surgimento da corrente artística do impressionismo. O artista é considerado um dos mais importantes na pintura Acadêmica. Além de ser um dos grandes artistas do século XIX, Gérôme também foi professor de diversos artistas, inclusive dos modernistas. Gérôme é reconhecido pelo seu orientalismo na pintura.

O pai de Gérôme era um ourives, o artista estudou em Vesoul, onde demonstrou um grande talento para desenho. Então, Jean-Léon Gérôme começou a estudar técnicas artísticas com Paul Delaroche, um artista que era aluno do renomado Jacques-Louis David. Uma das obra de Paul Delaroche em que podemos perceber seu estilo artístico aprendido junto com David é As últimas horas do cardeal Mazarin:

As últimas horas do cardeal Mazarin, Paul Delaroche.

Nessa obra podemos ver influências do neoclassicismo. Paul Delaroche ensinou à Gèrôme sobre como fazer essas composições artísticas. Paul Delaroche parece se encontrar entre o barroco e neoclassicismo. Jean-Léon Gérôme se torna um verdadeiro artista neoclassicista, como podemos ver na pintura abaixo, Friné antes do Areópago.

Friné antes do Areópago, Gérôme.

Podemos perceber o estilo acadêmico e neoclássico nesse resgate de temas greco-romanos, já que Friné teria sido uma cortesão lendária que teria tirado a roupa pra mostrar a beleza de seu corpo durante um julgamento contra ela. Na pintura vemos o pouco uso de de elementos decorativos, mostrando o cenário de um jeito mais sóbrio. O uso do nu artístico é um dos temas mais usados pelos pintores acadêmicos.

O contato de Jean-Léon Gérôme com o oriental aconteceu quando o artista visitou a Turquia navegando pelas margens do rio Danúbio, além de uma visita ao Egito.

Uma das obras de Jean-Léon Gérôme inspiradas nesse contato com o mundo oriental é Egípcios Cruzando o Deserto:

Egípcios Cruzando o Deserto, Gérôme.

Nessa pintura acima, Gèrôme utiliza o tipo de contraste e paleta de cores comum em outras obras artísticas. A escolha por esse tema do mundo oriental vai marcar a pintura europeia do século XIX. Os tons de azul, contrastando com um tom acastanhado e terroso, aparece em outra pintura de Jean-Léon Gérôme, Jovens Gregos em Luta de Galo:

Jovens Gregos em Luta de Galo, Jean-León Gérôme.

Os temas gregos também fazem parte da pintura de Jean-León Gérôme, além da utilização de uma iluminação que remete um pouco ao Renascimento, os artistas acadêmicos do século XIX eram fãs do pintor renascentista Rafael Sanzio. Nas figuras humanas podemos ver o uso do sfumato, o contraste é menos dramático e sentimental do que o Barroco e o Romantismo.

Essa obra, Jovens Gregos em Luta de Galos, foi submetida ao Salão de Paris, foi aceita e exposta no Salão de 1847, além de ter rendido uma medalha ao artista.

Jean-León Gérôme foi contratado para confeccionar um mural gigante com um tema alegórico de sua escolha, essa pintura tinha como grande objetivo agradar Napoleão III, esse mural ficou conhecido pelo nome de O século de Augustus.

O século de Augustus, Jean-León Gérôme.

Esse grande mural possui o tamanho de 6 metros de altura e 10 metros de largura. Nessa pintura também podemos notar o jogo de cores utilizado por Jean-León Gérôme, o uso do azul em contraste com tons terrosos, e a iluminação do bebê Jesus Cristo, e sentado atrás no alto numa espécie de trono, provavelmente o imperador. As personagens lembram o estilo da arte renascentista, e é um mural tipicamente neoclassicista.

O artista pinta temas religiosos também, uma das obras do artista com tema religiosos, é O Anjo carregando uma Alma:

O Anjo carregando uma Alma, Jean-León Gérôme.

Apesar de retratar um anjo, essa pintura tem fortes traços neoclassicistas, podemos ver um posicionamento adotado por renascentistas, com o corpo se alongando ao céu, e com traços de deuses gregos.

Uma das pinturas mais famosas do Jean-León Gérôme é Pollice Verso:

Pollice Verso, Jean-Léon Gérôme.

Nessa pintura vemos uma luta de gladiadores em que era perguntado ao público sobre se o gladiador vencedor deveria ter piedade ou se deveria matar, como podemos ver nessa obra Jean-Léon Gérôme, o público fez um sinal com o polegar inverso para dizer que não era pra ter piedade do gladiador perdedor.

Esse gesto pintado por Gérôme se tornou o símbolo da não piedade, e foi utilizado até mesmo no filme Gladiador. Não se sabe se este era o gesto que o público fazia realmente, esse sinal foi apenas uma criação de Gérôme que pode ou não ter sido o gesto utilizado pelos romanos.

Jean-Léon Gérôme morreu no ano de 1904, deixando um legado como pintor acadêmico para a História da Arte.

Compre meu livro na Amazon:

2 comentários em “Jean-Léon Gérôme, um artista orientalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.