Categoria: Sociedade

Devemos obedecer cegamente uma ordem dada por uma autoridade?

Obediência é fazer o que alguém está pedindo a você só porque ela tem autoridade. É uma forma de influencia social.

Em 1939, Adolf Hitler começa a Segunda Guerra Mundial ao invadir a Polônia. Com ela também temos a ascensão do nazismo na Alemanha, que foi responsável por uma das maiores atrocidades cometidas na história da humanidade, o Holocausto.

Quando terminou a Segunda Guerra Mundial muitos se perguntaram como era possível  um soldado fazer o que fez aos judeus, somente por obediência a um militar de hierarquia superior.  Continue Lendo…

Anúncios

A ansiedade e “Alice no país das maravilhas”

O texto para refletir de hoje é sobre a causa da ansiedade no mundo em que vivemos.

Usei como metáfora a obra de Lewis Carroll, “Alice no país das maravilhas, e o filme da Disney produzido em 1951.

Você vai perceber como é impressionante a semelhança do mundo estranho que Alice deseja e encontra, e o mundo que vivemos, e como nosso estilo de vida contemporâneo  contribui pra nos deixar tão ansiosos e frustrados com a vida. E a solução pra esse problema.

aliceansiw1Ansiedade: Vivendo no “País das maravilhas”

Como o mundo que criamos, “O País das maravilhas” nos deixou tão ansiosos e estressados. Como o exemplo da Alice pode te ajudar a superar o estresse e viver uma vida melhor,

Clique aqui

 

Como choramos e rimos da mesma coisa?

Uma breve introdução…

Michel de Montaigne, nasceu em 1533, foi um humanista , escritor, filósofo e cético.

Sua grande obra foram os Ensaios, que são livros com textos curtos sobre diversos assuntos. Tipo um blog de 1500?

O que mais me interessou foi as ideias dele sobre a educação das crianças. Segundo ele, a educação rígida, com livros enormes, consumiria muito tempo e seria pouco eficiente.

A educação deveria formar indivíduos honestos, aptos ao julgamento, tornando-os um adulto mais sábio e melhor.  E o ensino deveria ser mais voltado a experiência, além de respeitar a individualidade da criança. É uma ideia muito futurística, pra alguém de 1500 e bolinha.

Um dos livros dele que eu to lendo, “Ensaios da amizade e outros textos”, contém o famoso texto em que ele faz em homenagem a um amigo dele que morreu, é muito comovente e maduro.

choromeme1

O autor não dá muitas respostas, mas lança muitas perguntas e fala de situações que a gente passa. Por exemplo, ontem alguém me falou que quando a gente rompe um relacionamento tóxico, nós devemos nos sentir feliz e não tristes e feliz ao mesmo tempo.

Mas todo ser humano, que tem sua humanidade intacta, tem isso, de ter sentimentos conflitantes.

Então, vamos responder a pergunta do título do post:

Como choramos e rimos da mesma coisa, segundo Montaigne?

Tem um capítulo do livro que se chama: “Como choramos e rimos da mesma coisa” e ele conta relatos históricos de líderes que quando matavam seus inimigos ficavam tristes pela morte deles, embora quisessem o inimigo morto, choravam/lamentavam quando este morria.

Montaigne diz que o ser humano é cheio de emoções opostas, pois cada coisa/pessoa/relacionamentos tem diversos aspectos, bons e ruins, e ainda temos aquilo…

Aquilo que se chama esperança. Enfim….

humanosme