Categoria: Aprendendo

O amor supera tudo….será?

Você arruma um namorado, e depois de uns 2 meses de namoro começam as brigas, e ele começa a agir estranho. Antes do namoro ele ouvia o que você dizia, se mostrava compreensivo e estimulava seus planos, agora ele está sempre colocando defeitos, quer sua atenção 24h, parece meio obsessivo, e as vezes faz umas brincadeiras pejorativas que deixam você com auto-estima baixa.

As brigas aumentam, e agora não são mais humilhações verbais, começaram os empurrões e os tapas. Continue Lendo…

Anúncios

Me reconciliando com os filósofos gregos

Li uns diálogos de Sócrates ontem e fiquei….omgmememi

Ele é incrível. Depois fui ler um livro que falava sobre amor que dizia basicamente isso:

livroamorli

E decidi voltar a ler Sócrates e Platão do que ouvir conselhos da princesa Aurora….Então, no momento eu retirei a parte de Filosofia do site, pois to reeditando alguns textos.

 

Sócrates, Platão e Aristóteles… esse trio me dá trabalho e me tira do sério…

pacienciameme

Afirmar ou chegar a alguma conclusão sobre esses 3 filósofos é algo muito difícil de fazer, pois é um disse que me disse enorme, e to ficando sem paciência.

A partir de agora vou usar a risca a lei de Hobbes, que eu decretei como lei, mas é mais um conselho:

“Não pode haver certeza quanto à ultima conclusão sem certeza sobre todas as afirmações e negações com base nas quais essa conclusão foi fundamentada e inferida.”
(1)

“(…)ao raciocinar sobre todas as demais coisas, aquele tira conclusões pela confiança que merecem os autores, se não aos comprova desde os primeiros elementos de cada consideração(…), perde seu tempo. Não sabe nada sobre as coisas. Simplesmente acredita nelas.” Leviatã, Thomas Hobbes, capítulo V, da razão e da ciência.

Antes de voltar a falar sobre esse trio, vou ter que ler muitas obras de Platão e Aristóteles, pra verificar a veracidade do que dizem sobre os três.

Resumindo, a parte sobre filosofia na Antiguidade vai ficar sendo construída com o tempo, muito tempo, tipo meses. E vou analisar até onde vale a pena fazer isso…. então….aguardem minha decisão…

Quando eu recuperar a paciência.

Como entender aquele filosofo que escreve difícil?

Imagine uma situação, você vai numa livraria e acha na promoção o livro “Crítica da razão pura” de Immanuel Kant, você compra. E quando chega em casa começa a ler, mas não entende nada.

memeeagora

Você não entende porque é burro? Não. Filosofia é muito complexa pra você? Não. Então por que você não consegue entender o livro de filosofia que você comprou na livraria?

Um dos motivos é que filósofos são (foram) pessoas que leram muitas obras de outros filósofos. Algumas vezes eles discordam do que um filósofo diz e começam a pensar no assunto, e decidem fazer um livro pra discordar desse filósofo e fazer argumentações e filosofias sobre o que discordaram.

No caso de Immanuel Kant, e o livro “Crítica da Razão Pura”, lá na introdução ele começa a falar sobre conhecimentos a priori, impressões…

E no segundo capítulo, ele continua nessa história de juízo a priori, conhecimento empírico, universalidade, até que ele escreve: “… pode bastar a proposição de que cada mudança tem uma causa. (…) o conceito de causa contém de tal modo o de necessidade de efeito e a rigorosa generalidade da lei, que desapareceria por completo se, como o fez Hume (…)”

carminhameme

Aí você se pergunta Hume? O que é isso? Uma pessoa? E a resposta é: sim, é uma pessoa, mas não só uma pessoa. Hume é o filósofo David Hume. Então, Immanuel Kant está refutando uma teoria do filósofo David Hume, que está no livro “Investigação sobre o entendimento humano”.  Estou querendo dizer que você tem que ler esse livro antes da “crítica da razão pura”? Não….Sim, estou…

fazeroq

Na verdade, você não precisa ler, porque Kant explica rapidamente o que é juízos a priori e empirismo e fala sobre os problemas desses conceitos. Mas se Kant está muito difícil de entender, eu aconselho ler o livro do David Hume, porque ele explica de um jeito muito fácil os conceitos que Kant rebate no livro “crítica da razão pura”.

Vou citar uma parte do que David Hume escreve e que Kant discorda até no fundo da alma:

“Portanto, se quisermos satisfazer-nos a respeito da natureza desta evidência que nos dá segurança acerca dos fatos, deveremos investigar como chegamos ao conhecimento da causa e do efeito.

Ousarei afirmar, como proposição geral, que não admite exceção, que o conhecimento desta relação não se obtém, em nenhum caso, por raciocínios a priori, porém nasce inteiramente da experiência quando vemos que quaisquer objetos particulares estão constantemente conjuntados entre si.” Investigação sobre o entendimento humano, David Hume.

Esse filósofo é conhecido por ser extremamente empirista (significa que tudo que a gente conhece vem de experiências). Ele diz “que as causas e os efeitos não são descobertos pela razão, mas pela experiência”, essa frase dele resume o que é empirismo.

Kant é contra esse empirismo radical, e são 200 páginas de argumentação do porque David Hume não está totalmente certo.

Momento desabafo do dia

memesolta

Ler filosofia é perda de tempo? Parece que David Hume e Immanuel Kant estão fazendo filosofia sobre algo inútil, não é?

Claro que não é inútil. Sabe por que? Tem um cientista famoso, que ele leu Kant aos 16 anos de idade, e essa leitura o influenciou muito, que ele até criou uma física nova. Sabe quem é esse cientista? Albert Einstein.

Kant dá uma base argumentativa muito forte sobre a existência de coisas que não podem ser provadas por experiência, ele usa o espaço e o tempo como exemplo. Uma das teorias de Einstein é sobre espaço-tempo, e a utilidade prática está nas tecnologias que você usa hoje. Sem Einstein não existiria metade dessas tecnologias.

Filosofia é inútil? Já imaginou se Einstein nunca tivesse lido Kant, ele nunca teria tido aquela confiança que fez ele criar uma teoria nova. Não sei nem se a gente teria smartphone hoje em dia, sem as teorias de Albert Einstein. Aquelas luzes que acendem “automaticamente” com certeza não existiria, foi ele que inventou isso….

Agora imagine o Isaac Newton sem filosofia, as leis de física dele foram escritas num livro que ele batizou de “Os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”. Não teríamos saído da idade média, ainda estaria buscando água no poço e usando luz de velas.

Mas o post é sobre como não se perder em filosofia e não sobre a utilidade da filosofia, que merece um post próprio.

Perdão…

justi1Essa é uma palavra fácil de dizer mas difícil de por em pratica. O que é o perdão? Não fazer nada? Não, o perdão é deixar toda a raiva e magoa irem embora, se libertar do mal que alguém te causou e deixar o destino dessa pessoa “pra lá”.

Parece o mesmo que deixar alguém sair impune, não é? Não, porque a justiça verdadeira não pode ser posta em pratica por nós, as vítimas. A justiça é uma mulher vendada sentada numa cadeira, com uma espada numa mão e uma balança em outra.

Por que essa é a imagem da Justiça? Ela tem vendas pois seu julgamento é imparcial, a balança serve pra equilibrar a culpa do ato e a punição no mesmo peso. E a espada representa o poder de punir, e está levantada para mostrar que todos estão sujeitos ao poder da justiça. E por que é uma mulher?

Julgar atos é analisar emoções, atenuantes, agravantes, não pode ser fria em relação às causas e motivos, nem ignorar situações. E quem entende melhor de emoções e motivos do que a mulher?

Perdoar é um ato de libertação e está separado da Justiça pois as vítimas não são imparciais.

A justiça deve ser imparcial pois senão vira vinganca, e a vinganca tende a inflingir um castigo maior do que é justo e isso não é a mesma coisa que virar a pessoa que nos causou mal? Não somos mais vítimas nessa situação e sim infratores. E Viramos réus, até mesmo se for o contrário, dar um castigo menor que o justo, eh ser injusto e portanto virar um infrator.

O desequilíbrio na balança da justiça cria conflito e só o equilíbrio da justiça pode trazer a paz. E como a justiça corrigirá o mal causado e trará a paz, por que ficar remoendo algo que já passou e que você não será o juiz que punirá a pessoa e nem o agente que restaurará o equilíbrio?

Perdoar não é abrir mão da justiça, é libertar a mente.

*Imagem retirada do Pinterest.

**O assunto perdão e justiça são muito longos, farei mais postagens sobre o assunto.

Autores brasileiros: Graciliano Ramos

No Brasil existem bons autores, muito bons mesmo, e tem aqueles que querem que a gente ache “cult”. E tem outros autores que achamos ruins porque nos mandaram ler o livro errado. Um desses injustiçados se chama Graciliano Ramos.

Nas listas de vestibular, que eu tive que ler, tinha um livro dele bem chato e arrastado (principalmente pra quem tinha que ler uns 30 livros diferentes) que é São Bernardo. Li muito rápido e por cima, mas é que ele começa a ser preconceituoso e usa estereótipo (odeio, perco o interesse quando noto isso), daí, tipo, desisti dele e li o livro meio “por cima”. Mas aí vem Fuvest e pede outra obra dele, Vidas Secas.

Porém era uma época diferente, a fuvest é muito mais perto de dezembro do que os outros vestibulares ( que são em setembro e outubro) e como já tinha estudado toda a matéria, só restou a lista de livros pra ler. E comecei por Vidas Secas (minha opinião na época era, começo pelos livros mais chatos), e São Bernardo era chato então…raciocínio tosco, mas quem não tem?

Fiquei surpresa. Era outro Graciliano Ramos, com personagens complexos, situações difíceis e nada artificial. Sem estereótipos, nada de desgraça desnecessária, o livro se propõe a mostrar uma realidade desconhecida por muitos brasileiros. Apresenta um problema, mostra causas, e deixa no ar uma reflexão e até mesmo uma responsabilidade para nós, como sociedade, pra resolvermos esse problema.

Vidas Secas, de Graciliano Ramos, é 4,5 estrelas. Só Shakespeare é 5 estrelas, pois só ele começa zoando estereótipos, e só ele tem a capacidade de parar uma história pra dizer “vc não é melhor que ninguém não. Eu tive que dizer o que é certo e errado, e vc aí se julgando moralmente superior” e ainda dar uma lição sobre o perdão numa história como Otelo (vc lendo, aí vem uma parte “deixa eu aproveitar e te dizer uma coisa importante, que cabe nesse contexto, e vai te ajudar na vida…”).