Macchiaioli, os pintores italianos modernistas

No século XIX o eixo da arte moderna havia se deslocado para a capital da França, a cidade de Paris, foi nesse local que surgiu os movimentos artísticos das vanguardas como o Impressionismo, artistas como Claude Monet, Édouard Manet, Édgar Degas, Camille Pissaro, Auguste Renoir e etc. Mas regiões que haviam feito história no século XV que ficavam na Itália também tinha seus próprios artistas talentosos, embora sejam menos conhecidos, eles também são tão habilidosos quanto os outros pintores europeus.

Os Macchiaioli eram um grupo de pintores que foram ativos na região da Toscana. Esses artistas se reuniam no Caffè Michelangiolo, assim como os franceses, eles queriam uma mudança na arte italiana, tinham uma grande admiração pelos antigos mestres como Rembrandt e Caravaggio. Esses artistas também se inspiravam na Escola de Barbizon. Um dos artistas que fazia parte dos Macchiaioli foi Giovanni Fattori.

Giovanni Fattori

Giovanni Fattori nasceu em 1875 em Livorno no Grão-Ducado da Toscana. O artista fez parte do grupo dos Macchiaioli. Em sua infância, sua grande habilidade para desenho fez com que sua educação fosse voltada para arte. Fattori se reúne no Caffè Michelangiolo com outros artistas. Uma das pinturas de Fattori se chama O Palheiro.

O Palheiro, Giovanni Fattori.

O Palheiro é uma pintura que lembra um pouco as obras impressionistas mas não pode ser classificada como uma. Apesar dos Macchiaioli pregarem uma arte nova, inspirada nos antigos mestres, sua revolução estética não quebrou tanto os padrões como aconteceu com os impressionistas franceses, por isso as pinturas desses artistas ficam na beira do impressionismo, tanto que alguns críticos chegaram a considerar as obras dos Macchiaioli um impressionismo fracassado.

Os Macchiaioli vieram um pouco antes dos artistas impressionistas franceses, por isso alguns consideram como precursores dos movimentos artísticos modernistas. Outra pintura de Giovanni Fattori que mostra esse quase impressionismo se chama Dama com abanador:

Dama com abanador, Giovanni Fattori.

Dama com abanador também é uma pintura que flerta com as pinturas modernistas francesas, ela não pode ser classificada como clássica mas também não rompeu inteiramente com esses padrões.

Os pintores franceses buscaram os efeitos ópticos da iluminação, criaram diversas teorias de cores, mas os italianas compartilharam com os franceses a pintura ao ar livre, como vemos na pintura de Giovanni Fattori chamada de Butteri:

Butteri, Giovanni Fattori.

Butteri é uma pintura ao ar livre de Giovanni Fattori que mostra dois homens conduzindo uma manada. Nessa obra o artista retratou uma cena com influência realista, mostrando com tons amarelo a terra árida que os homens tinham que passar com essa manada de gado, ao fundo vemos uma faixa de água.

Diversas encomendas sobre batalhas eram feitas ao artistas, já que Fattori vivia o momento que ocorria a unificação da Itália. Muitas pinturas de Fattori foram cenas sobre soldados e acampamentos militares.

Uma outra pintura de Giovanni Fattori que é bem conhecida se chama La cugina Argia.

La cugina Argia, Giovanni Fattori.

Vito D’Ancona

Vito D’Ancona nasceu no ano de 1825 em Pesaro. D’Ancona pertencia a uma família muito rica e por isso estudou na Accademia di Belle Arti no estúdio do artista Giuseppe Bezzuoli, um artista neoclássico, D’Ancona também aprendeu a pintar ao ar livre. Assim como Giovanni Fattori, também conheceu Giuseppe Garibaldi e frequentou o Caffè Michelangiolo.

O artista pintou telas um pouco mais parecidas com as pinturas impressionistas francesas, como podemos ver na obra chamada de Senhora de Branco:

Senhora de Branco, Vito D’Ancona.

Senhora de Branco é uma pintura que lembra um pouco as obras impressionistas de Mary Cassatt ou as de Edgar Degas. D’Ancona utiliza as pinceladas rápidas e leves para fazer a pintura, podemos ver ao pé da mulher de vestido branco, ao lado direito, um cachorro olhando para ela, que também está olhando para o pequeno animal. Essa é uma pintura intimista.

Telemaco Signorini

Telemaco Signorini nasceu em 1835 nasceu em Santa Croce, e era filho de um pintor da corte, por isso, teve o privilégio de estudar na Accademia di Belle Arti di Firenze. Logo passou a frequentar o Caffè Michelangiolo, onde conheceu os artistas do grupo dos Macchiaioli.

A especialidade de Signorini era a pintura de cenas urbanas como sua obra chamada de Leith:

Leith, Telemaco Signorini.

Leith é uma pintura que mostra uma cena urbana italiana, como as pinturas de Gustave Caillebotte que mostrava classes mais baixas em trabalhos menos glamurosos. Uma outra pintura que mostra esse lado mais social de Telemaco Signorini se chama Banho para prisioneiros em Portoferraio.

Banho para prisioneiros em Portoferraio, Telemaco Signorini.

Banho para prisioneiros em Portoferraio é uma daquelas pinturas importantes que mostram a realidade social da época, e não somente paisagens bonitas e festas e classes sociais altas entediadas num jardim, ou numa festa. Nessa pintura podemos ver que existem características impressionistas, Signorini retratou os prisioneiros como se fossem esqueletos, se olharem com menos atenção podem ter essa impressão nessa pintura. É uma obra-denúncia de Telemaco Signorini.

O grupo dos Macchiaioli acabou no século XIX, infelizmente, eles não foram tão bem sucedidos quanto os impressionistas franceses.

Fonte e Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Macchiaioli

Compre meu e-Book na Amazon:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.