Santo Agostinho e Platão

Como é possível que um cristão tenha usado filosofia pagã para dar suporte ao cristianismo?

Estamos blindados pelo pensamento religioso sobre o que é heresia ou paganismo, mas vamos deixar os dogmas da religião de lado por um instante, e ver o que Platão dizia em sua filosofia.

Platão acreditava na existência de um único deus, que não era grego e nem de Atenas. Essa crença veio do mestre dele, Sócrates, que dizia isso e falava que a intenção desse deus era mostrar aos homens o caminho do bem e da justiça (Apologia de Sócrates, Platão).

Quando Sócrates morre porque foi condenado a morte por não acreditar nos deuses de Atenas e corromper os jovens. Platão saiu pelo mundo em busca de sua própria filosofia, então ele criou o mundo das ideias, um lugar onde as almas viviam antes de vir a esse mundo (que ele chamava de sensível), e que o ser humano está constantemente procurando esse mundo das ideias, um mundo onde tudo seria perfeito e imutável. Platão nunca usou a palavra deus, mas deixava subentendido na filosofia dele.

Ele tinha vários motivos pessoais pra não falar desse deus, pois este não impediu que Sócrates morresse, então Platão nunca aceitou muito bem isso.

Mas assim como Sócrates, Platão teve discípulos, e um deles chamado Plotino colocou deus no meio da filosofia de Platão e criaram o neoplatonismo.

Santo Agostinho vai buscar no neoplatonismo e em Platão o suporte filosófico pra explicar a existência de Deus, o problema do mal, e ele misturou isso com as escrituras bíblicas, e assim ele criou a Patrística, filosofia cristã.

One thought on “Santo Agostinho e Platão”

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.