Montesquieu e os pobres

“Um homem não é pobre porque não tem nada, mas porque não trabalha” Montesquieu.

Aquele carroceiro, catador de lixo, que anda a cidade toda carregando um carrinho, não deve ser pobre, afinal, ele trabalha muito.

E aquele político que aparece uma vez por mês na assembleia pra votar, deve ser pobre, porque não trabalha todos os dias.

aff

“o Estado muitas vezes é obrigado a prover às necessidades dos velhos, dos doentes e dos orfãos. Um estado bem policiado tira essa subsistência do próprio fundo das artes, dá a uns os trabalhos de que são capazes, ensina os outros a trabalhar, o que já é um trabalho.”

Hmmm…. deixa eu resumir o resto, ele diz que um estado não deve dar esmolas pois isso não é obrigação do Estado, este deve a todo cidadão uma subsistência garantida, o alimento, um estilo de vida não contrário a saúde. (Claro que esse dever se resume a uma palavra: trabalho, pois resolve todos os problemas do universo)

“As riquezas de um Estado supõe muitas indústrias”. Ok, isso é verdade. “Não é possível que num número tão grande(…) de comércio não exista um que sofra (…) é então que o Estado precisa prestar socorro rápido.”

Deixa eu ver se entendi direito, Montesquieu diz que o homem é pobre por que quer, depois fala que um comércio pode sofrer e o Estado deve ajudar. Então, o Estado deve ajudar um comércio incompetente mas não o pobre?

O resto do capítulo é pérola atrás de pérola. Resumidamente ele fala que uma nação pobre não deve ser ajudada, pois não adiantaria, e essa ajuda inspira a preguiça e aumenta a pobreza dessa nação. Ele chama os monges de preguiçosos, e admira o que Henrique VIII fez, e que isso criou o espírito de comércio e de indústria que foi estabelecido na Inglaterra.

chloe_meme

O que Henrique VIII fez aos pobres, mendigos, e ociosos beira a crueldade. Ele mandava eles pra workhouses (casas de trabalho forçado), ele ainda punia as pessoas com açoites e prisão se não trabalhassem. Aquela história de jornada de trabalho de 18 horas não começa na Revolução Industrial, começa em 1500.

E as causas da pobreza vão além de falta de trabalho, o pobre pra sair da situação de pobreza precisa de educação, saúde, assistência social, psicólogos.

Imagine alguém que nasceu pobre, as vezes a família é desestruturada, e a criança negligenciada (pensa em como é diferente alguém que tem família, que teve educação e cuidados).

E como essas pessoas não encontram oportunidades pra sair dessa situação, então os jovens são desencorajados a tentar sair da pobreza, porque acham que não é possível, e eles se contentam com o pouco que tem e estão acostumados. Não é preguiça de trabalhar.

E a pobreza da população não é uma coisa boa para uma nação ou Estado, causa muitos problemas e faz com que o Estado tenha que gastar mais em saúde, educação e segurança. Quanto menos pobres existir, os gastos de um governo tendem a diminuir.

Por outro lado, a pobreza pode ser vista por empresários como uma oportunidade de conseguir mão de obra barata, pra baratear os custos da empresa.

ok

Tem uma coisa que eles não pensam e na realidade esse tiro sai pela culatra e os gastos aumentam, mas não interfiro nessas punições dadas pelo universo a essas pessoas cruéis.

Enfim, Montesquieu é muito simplista.

Anúncios

Nos próximos episódios…

Digo, nas próximas postagens…

Estou relendo discurso do método de Rene Descartes, pra continuar a falar sobre ele. Além de terminar John Locke (to presa na parte que ele começa a falar sobre briga de legislativo, judiciário, e executivo…).

E tenho que terminar Montesquieu, ele separou “os 3 poderes” segundo dizem, que isso resolveria o problema do abuso de autoridade do Estado.

Conforme eu to lendo Locke, e relendo Leviatã (pra saber o que Hobbes falou que incomodou tanto Montesquieu, a ponto dele criar uma ditadura democrática) to começando a perceber que a ideia de fazer a divisão de poderes no Estado já existia.

Hobbes tem uma opinião sobre isso e como ele consegue ver as consequências das coisas claramente, quero ver o porque ele achou que não funcionaria.  E Locke também fala sobre a divisão de poderes e chega até a falar sobre se houvesse uma briga entre eles…. (eu parei nessa parte).

Quero ver a novidade que Montesquieu propõe.

Desabafo do dia….

Quanto mais eu leio sobre os filósofos antecessores aos iluministas. Mais eu acho os pensadores iluministas simplistas. Principalmente porque eles não são realistas sobre a natureza humana, é muito idealismo. Não dá pra fundar um Estado com base num ideal inalcançável, como Marx fez com a economia, tem que ser realista.

Os filósofos posteriores aos iluministas começam a debater essa questão da natureza humana. David Hume fala que o homem é uma folha em branco, do mesmo jeito que Rousseau, mas ele constrói uma argumentação mais realista que Rousseau.  Por isso que quem consegue contra argumentar as ideias de Hume é Immanuel Kant (aquele que “fez” Einstein criar a teoria da relatividade).

Mas eu tenho que reler Rousseau e terminar Montesquieu, antes de criar antipatia pelo Iluminismo e achar que mentiram sobre isso na escola…..E no meio dessa turma de iluministas ainda tem Voltaire, e ele não é igual os outros, é mais racional. Então nada de tirar conclusões por enquanto.

Atualização:

Também quero falar mais sobre psicologia e comportamento humano. Eu sei que vai chegar um ponto em que a filosofia vai ficar muito esquisita, pessimista e chata. Nesse momento vou mudar pra psicologia, cultura e artes.

E sociologia e economia? Sobre economia eu vou comentar um pouco sobre os teóricos de economia, tipo Adam Smith e afins, até uma parte da história, porque acontece a mesma coisa que na filosofia, chega uma parte em que os economistas vão ficar confusos, pessimistas e chatos.

Sociologia eu vou comentar algumas coisas também, mas tem uma parte que os sociólogos ficam tipo os iluministas, muito simplistas e irrealistas. Não vou focar tanto nessas coisas confusas, e caóticas. Ninguém quer ler chatice.

Atualização 2:

Quero entrar na questão sobre as leis de acordo com Hobbes e Locke. eles são muito mais racionais e humanos que Montesquieu. E também quero fazer posts sobre curiosidades….e coisas interessantes.

O que é igualdade? (Segundo Montesquieu)

“Cada um deve possuir a mesma felicidade e as mesmas vantagens, deve experimentar os mesmos prazeres e ter as mesmas esperanças.” (O espírito das leis, Montesquieu)

Igualdade para Montesquieu é nivelar todos os homens ao mesmo patamar, o de miséria, que ele chama de frugalidade. Pra ele a democracia depende da igualdade (extrema).

Pro filósofo, para que ninguém possua lotes desiguais de terras numa democracia. Se um homem tiver 3 filhos, pra não haver a divisão do lote que ele possui, em 3 partes, no caso de herança. Esse homem deveria escolher um filho, e dar os resto dos filhos para casais sem filhos.

Para que não houvesse a existência de lotes de terras de tamanhos diferentes.  (não vou nem comentar o que ele fala sobre casamentos – em prol da igualdade, irmãos deveriam se casar entre si, uma herdeira deveria casar com um parente…e é daí pra baixo…)

“O amor à igualdade, numa democracia, limita a ambição ao único desejo, à unica felicidade, de prestar à pátria maiores serviços do que os outros cidadãos.”   Alguém lembra da Coréia do Norte nessa citação do livro? Eu só consigo pensar na Coréia do Norte quando leio isso.

coreiadonorte

(…)Logo é uma máxima bem verdadeira aquela que diz que, para que se ame a igualdade  e a frugalidade numa república, é preciso que as leis tenham se estabelecido.”  Igual na Coréia do Norte?

“Toda desigualdade na democracia dever ser tirada da natureza da democracia e do próprio princípio de igualdade. Por exemplo, pode-se temer que pessoas que precisem de um trabalho contínuo para viver fossem muito empobrecidas por uma magistratura, ou negligenciassem suas funções, que artesãos se tornassem orgulhosos, que libertos demasiado numerosos se tornassem mais poderosos que os antigos cidadãos. Nestes casos, a igualdade entre os cidadãos pode ser suprimida da democracia. Mas é apenas uma igualdade aparente que se suprime (…)”

ahtameme

Fico em dúvida se Montesquieu está falando mesmo de uma democracia, ou do governo democrático Norte Coreano….

duvidameme

Ou se eu estou lendo O espírito das Leis de Montesquieu ou o livro O Capital de Karl Marx.

A dúvida acaba quando ele começa a escrever sobre o governo Aristocrata, que pra ele é o máximo, tem todas as virtudes do mundo, os conhecimentos, as capacidades, e ainda consegue reprimir o povo burro (segundo ele).