Conheça 7 manifestações Culturais Nordestinas

A Região Nordeste é composta de nove estados brasileiros, então algumas tradições culturais são características apenas de algum estado, outras tradições são compartilhadas por toda a região. A região recebeu ao longo do período colonial brasileiro, europeus e africanos, com os indígenas que existiam na região, essa mistura fez o Nordeste ter uma cultura bastante diversificada. Veja algumas tradições culturais da Região Nordeste.

1.Reisado

O Reisado é uma festividade em forma de dança que tem origem Ibérica e foi introduzido na região do estado do Sergipe. Essa festividade é um folguedo assim como o “Bumba meu-boi”. Ele celebra o período natalino, comemora o nascimento de Jesus e os três Reis Magos. O nome Reisado significa aquele que dança, canta e celebra na véspera do dia dos Reis. O Reisado tem uma peça cheia de vários atos, o “Bumba meu-boi” originalmente era um entremeio do Reisado.

Estados do nordeste como o Ceará, Alagoas e Sergipe, realizam essa festividade conhecida como Reisado.

By lobotalita – Own work, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=51760919

2.Literatura de Cordel

A Literatura de Cordel tem sua origem nos trovadores da Idade Média, quando seus poemas começaram a ser impressos, no trovadorismo a poesia era somente cantada e falada pelos trovadores. Essas poesias eram impressas e penduradas num cordão para serem vendidas. A literatura de cordel chega ao Nordeste junto com os portugueses. No século XVIII, esse jeito de vender literatura, se popularizou, e diversos tipos de textos eram impressos na forma de folhetos e pendurados para serem vendidos ou distribuídos.

No Brasil havia os violeiros (repentistas), que se assemelhavam aos trovadores com seus alaúdes, em sua forma de expressar poesias utilizando instrumentos musicais. A literatura de cordel ficou conhecida como poesia popular, é um estilo literário característico do nordeste, pois é através dele que é passado as tradições, folclores e lendas populares do nordeste brasileiro.

Literatura de Cordel.

3.Maracatu

O maracatu é um folguedo de origem afro-brasileira que surgiu na época do período colonial brasileiro, essa manifestação folclórica e cultura remonta a Pernambuco no século XVIII. O maracatu está relacionado a Coroação dos Reis do Congo, na época da escravidão, por causa do papel da Igreja Católica, os escravos negros comemoravam a Coroação dos Reis do Congo, e como a Igreja proibiria tal festa não relacionada ao catolicismo, então, nessa coroação os santos católicos eram coroados Reis do Congo.

As crenças dos escravos negros deram origem a religião Candomblé, e como o maracatu era considerado pela elite uma festa de escravos africanos, o maracatu se tornou uma forma de expressar a religiosidade dos negros escravos, num contexto de Brasil colonial. (1)

Como todo folguedo, o Maracatu apresenta uma narrativa apresentada em diversos atos e tem personagens como o Calunga que é boneca negra que representa uma rainha morta, ela é carregada pela Dama do Paço, Os Reis, os Yabás, Escravos, porta-bandeiras e etc. As apresentações de maracatu acontecem em Olinda, no período do carnaval pernambucano.

Maracatu.

4.Festas Juninas

As festas juninas tem origem na Europa, em homenagens feitas a São João, um santo católico. Essa celebração, que no início era religiosa, foi trazida pelos portugueses no período colonial do Brasil, e se tornou popular, principalmente na região nordestina, que foi uma das primeiras regiões colonizadas pelos portugueses.

Ela se popularizou principalmente por coincidir com os períodos de chuva no Nordeste, e a festa junina se tornou uma celebração a vida rural. Na festa junina são utilizadas roupas ditas caipiras, tem uma fogueira para São João, e comidas típicas como milho verde, amendoim, pamonha e etc. A festa junina acontece em todo o Brasil hoje em dia, mas é mais festejada no nordeste.

Decoração de festa junina.

5.Frevo

O frevo surgiu em Pernambuco, e é uma dança e ritmo musical, que tem sua origem no século XIX. É um tipo de música que foi criada para animar os folguedos no período do Carnaval. Sua dança é herdada da capoeira.

No século XIX ocorreu a Revolução Pernambucana, no ano de 1817, que foi um movimento separatista que conseguiu manter um governo próprio por três meses, até as tropas de Dom Pedro I conseguirem derrotar os revolucionários. O frevo é uma herança dessa época, os capoeiristas usavam como arma cabos de guarda-chuvas, por isso seus passos de dança podem ser encarados como uma forma de resistência dessa época.

Era comum os conflitos entre blocos de frevo por causa de sua origem que remete à luta e a resistência. Foi o jornalista Oswaldo Oliveira que criou o termo frevo, que se relaciona a fervura por causa do ritmo rápido da música e da dança. O frevo acontece durante o carnaval de Recife e Olinda.

Frevo na Igreja do Carmo.

6.Capoeira

A capoeira não é somente uma luta, é uma expressão cultural, com música, dança, esporte e arte marcial. A capoeira tem sua origem na época da escravidão no Brasil, consideram que surgiu no famoso Quilombo dos Palmares no século XVII, vinda dos escravos africanos da etnia Banto.

Ela é acompanhada de músicas e utilizam instrumentos como o berimbau, a capoeira é praticada numa roda de capoeira.

Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO, a capoeira é mais que parte da cultura nordestina, ela virou um símbolo da cultura brasileira sendo praticada em diversas partes do mundo.

“Jogar Capoeira” ou Danse de la Guerre, de Johann Moritz Rugendas, de 1835.

7.A festa de Iemanjá

Foi os povos de origem iorubá que trouxeram ao Brasil o culto a Iemanjá. Os iourubás foram trazidos ao Brasil como escravos que vieram da África, hoje em dia os iorubás são a maior etnia do continente africano.

A Iemanjá é uma divindade da fertilidade chamada de orixá dos ebás, que são um subgrupo dos iorubás que moravam perto do rio africano oxum. Como os orixás foram associados a santos católicos, a Iemanjá é uma santa sincrética, ou seja, sua imagem no Brasil está relacionada a Nossa Senhora da Conceição. Na Nigéria existe o culto de Iemanjá até os dias de hoje e lá ela é uma figura negra de traços africanos

Como a Iemanjá é uma divindade associada as águas tanto na matriz africana quanto na brasileira, a festa de Iemanjá é comemorada na praia do Rio Vermelho em Salvador na Bahia. Essa festividade é celebrada em 2 de fevereiro, e é considerada um Patrimônio Cultura da Bahia. A festa de Iemanjá também ocorre no Rio de Janeiro, e na religião Umbanda a homenagem a Iemanjá é feita no dia 31 de dezembro, por pessoas que comemoram a passagem do ano nas praias do Rio de Janeiro.

Imagem de Iemanjá na Umbanda.

Referências:

(1) Maracatu : faces e interfaces de uma experiência religiosa, dissertação de mestrado, autor: George Demetrio Alves dos Prazeres.

4 comentários em “Conheça 7 manifestações Culturais Nordestinas

Deixe uma resposta para marcello comitini Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.