O Julgamento das Bruxas de Salem

Esse fato ocorreu na cidade de Denver(antiga Vila de Salem), Massachusetts, anos de 1692/1693. Mas pra falar sobre esse grande episódio do passado americano primeiro nós temos que entender o contexto e como era a sociedade nessa época em que aconteceu o julgamento das bruxas de Salem.

Os Estados Unidos foram uma colônia de povoamento, os migrantes vieram da Inglaterra pra fugir de perseguições religiosas ou porque não concordavam com a Igreja da Inglaterra. Os primeiros migrantes que estabeleceram uma colônia em Massachusetts são conhecidos como os Pilgrims (peregrinos), eles fizeram a famosa viagem no navio Mayflower, chegaram na América do Norte e fundaram a colônia de Plymouth.

Os colonos Puritanos

Os Pilgrims eram puritanos, e os puritanos se separaram da Igreja da Inglaterra e foram a princípio para o norte da Inglaterra para formar congregações separatistas. Porém havia o Ato de Uniformidade decretado pelo governo Inglês e, de acordo com ele, era ilegal não comparecer nos cultos na Igreja. Então esses puritanos foram pra Holanda, ficaram uns anos por lá e depois decidiram migrar para a América do Norte.

Peregrinos do Mayflower.

A região da Baía de Massachusetts, incluindo Denver e a cidade vizinha Salem, foram colonizadas por esses puritanos que fundaram governos e dirigiam as questões jurídicas e religiosas da colônia. Como a perseguição religiosa aumentou muito na Inglaterra sob o domínio do Rei Carlos I, muitos puritanos conseguiram se estabelecer em Massachusetts.

Com essa explosão de pessoas na região da Baía de Massachusetts a convivência entre os colonos era turbulenta, havia rivalidade entre Denver e a cidade de Salem, disputas de terras e discussões sobre os privilégios da Igreja. Houve a troca de ministros das congregações nas duas regiões. Os líderes religiosos eram eleitos pelos homens livres da colônia e cada líder tinha sua vida examinada para serem admitidos como líder na colônia.

Os puritanos acreditavam que os homens e mulheres eram iguais aos olhos de Deus mas diferentes aos olhos do diabo. As almas das mulheres eram consideradas mais frágeis por causa de seus corpos mais fracos que os corpos dos homens.

Cotton Mather, que era um ministro da Nova Inglaterra Puritana (região colonizada pelos puritanos na América), era um grande defensor da existência de bruxaria. Ele escreveu um livro relatando como a bruxaria afetou os filhos de um pedreiro chamado John Goodwin.

Como tudo começou e terminou

Na vila de Salem(atual Denver), a filha (Betty Parris) e a sobrinha(Abigail Williamns), do reverendo Samuel Parris, com nove e onze anos respectivamente. começaram a ter ataques histéricos. Elas se jogavam no chão, se contorciam, faziam barulhos estranhos, na frente de pessoas como o ministro de uma cidade vizinha, John Hale e o ex-ministro da Vila de Salem, Deodat Lawson.

Vila de Salem, onde tudo começou.

As duas meninas também reclamavam de beliscadas e espetadas de agulhas. O médico William Griggs não conseguiu encontrar nenhuma evidência física de doença nas duas crianças. Depois outras garotas começaram a apresentar esses sintomas, Elizabeth Hubbbard de 17 anos e Ana Putnam Jr de 12 anos.

A primeira a ser acusada de estar causando esses sintomas nas meninas através de práticas de bruxaria foi a escrava do reverendo Parris, a nativa da América do Sul, Tituba. Algumas pessoas acreditam que ela possa ter contado histórias de vudu e bruxaria para as meninas antes das acusações.

Tituba, a primeira acusada.

Foi Tituba que entregou outros supostos praticantes de bruxaria, Sarah Good e Sarah Osborne. Mais tarde Tituba confessou que foi o próprio reverendo Parris que forçou ela a acusar outras pessoas.

Casa onde começaram as manifestações de bruxaria.

Mas uma das maiores provocadoras da histeria e acusações de histeria foi Elizabeth Hubbard, uma adolescente de 17 anos que era órfã e vivia com o tio, o dr. William Griggs (o médico que atendeu as garotas).

Outras pessoas foram acusadas, Giles Corey, Abigail Hobbs, Mary Warren, Deliverance Hobbs, Deliverance, Abigail Hobbs e Mary Warren acusaram mais outras pessoas como William Hobbs (marido de Deliverance), John Proctor, Sarah Proctor, John Willard e Rebecca Nurse.

As pessoas acusavam umas as outras pra escapar da punição por bruxaria pois a confissão da prática e entregar os outros participantes levava ao perdão da pessoa.

O Tribunal de Oyer e Terminer* se reuniu em Salem, o primeiro caso julgado foi o de Bridget Bishop e ela foi a primeira executada. E o resultado de todo esse processo foi que mais de 200 pessoas foram acusadas, das quais 19 foram executadas na forca e 5 que morreram na prisão.

Vários ministros Puritanos estavam interessados nesse julgamento das bruxas de Salem, alguns deles chegaram a conclusão de que tudo não passava de histeria e superstição. Inclusive o filho do ministro Deodat Lawson(aquele que viu os sintomas de bruxaria), Increase Lawson foi veementemente contra esses julgamentos de bruxaria realizados em Salem.

Após os apelos do clero de Boston, que concluíram que era melhor que dez culpados de bruxaria escapassem da morte do que um inocente morto, o governador real de Massachusetts, William Phips, encerrou os procedimentos. O último julgamento terminou em maio de 1693 e os acusados que escaparam da forca, foram sendo libertados.

Consequências

Como resultado desse caso a influência da fé Puritana diminuiu drasticamente no governo da Nova Inglaterra. A família de Rebecca Nurse ergueu um memorial à ela. Também foi feito um parque em memória as vítimas do julgamento de Salem.

Memorial Rebecca Nurse.

Porém nem todos os condenados foram exonerados até o início do século XVIII, descendentes de seis pessoas que não foram incluídas no projeto de lei que revertia a condenação foram a justiça em 1957 para limpar o nome de seus ancestrais.

Memorial em Denver.

Em outubro de 2001, um projeto de lei assinado pela então governadora, Jane Swift, declarou todos os acusados nos julgamentos como inocentes.

*Comissões presididas por um juiz “de Justiça”.

Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Salem_witch_trials

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.